icons.title signature.placeholder Daniel Guimarães e Felippe Rocha
17/11/2014
07:35

O futebol apresentado não é bom há tempos, mas a crença no "agora vai" persiste. E tem que persistir mesmo. Entretanto, a verdade é que o Vasco tem contado com a sorte para não estar em situação dramática na Série B. Por mais que os 97% de chances de classificação façam de uma improvável permanência na segunda divisão um desastre, é bom o time voltar a jogar bola. Até porque desastres acontecem e uma hora a sorte pode parar de sorrir.

Durante todo o campeonato foi uma sina. O time vence jogando mal, depois dá a impressão de que vai engrenar e, na sequência, joga um balde d’água fria nos torcedores. Assim a equipe demorou, mas se consolidou no G4. Com a recente queda de rendimento, não é ameaçado apenas porque os rivais também andam cambaleantes.

Ceará, Boa, Atlético-GO, Avaí, América-MG, Santa Cruz e Sampaio Correa. A campanha irregular destas sete equipes fez com que o Cruz-Maltino ainda tenha a famosa "gordura para queimar". O técnico Joel Santana, porém, quer que o time para de vacilar e aproveite o jogo em casa, nesta terça-feira, contra o Vila Nova, para eliminar concorrentes.

– As coisas estão se definindo. Tem mais sete disputando as duas vagas que restam. Com vitória na terça (amanhã), eliminamos três ou quatro. Ainda temos um pouquinho de gordura para queimar, mas chega de queimar gordura. Vamos cuidar da nossa vida. Vamos fazer o que os caras fazem contra nós: jogar a vida. Com o apoio da torcida, vamos jogar o ano, ou até dois anos, na terça (amanhã) – disse, no desembarque no Rio, ontem.

O Vasco já teve outros "jogos do ano" e não aproveitou. Contra o rebaixado Vila Nova, a atenção para a vitória precisa ser reforçada.