icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/07/2013
21:54

Principal campeonato depois da Olimpíada de Londres, a Liga Mundial reuniu novamente os finalistas dos Jogos do ano passado. E o vencedor se repetiu. Com sobras, a Rússia superou a Seleção Brasileira e faturou o tricampeonato do torneio (foi campeã em 2002 e 2011) ao fazer 3 sets a 0, parciais de 25 a 23, 25 a 19 e 25 a 19, no Ginásio Islas Malvinas, em Mar del Plata (ARG).

O grande destaque da partida foi o oposto Nicolay Pavlov, maior pontuador com 22 acertos. No lado brasileiro, o ponteiro Lucarelli foi o jogador com melhor aproveitamento no ataque, com oito.

Esta foi a sexta vez que Brasil e Rússia decidiram o título da Liga. Com a vitória de hoje, o retrospecto está empatado em três a três. Curiosamente, o último título dos brasileiros foi em cima de seus novos algozes, em 2010.

- Temos que reconhecer, (os russos) foram superiores. Quando você deixa eles abrirem uma larga vantagem no set, fica muito dificil (reverter) porque eles forçam muito o saque. Eu acho que tem de ter paciência, a gente está buscando um novo entrosamento, um novo grupo, é aprender com essa derrota - disse o levantador Bruninho, em entrevista ao Sportv.

Nesta edição, os times já haviam se enfrentando na primeira rodada da fase final. Na ocasião, os russos venceram por 3 sets a 2.

O JOGO

Dante, que havia se machucado durante a semifinal contra a Bulgária, se recuperou e começou como titular. Já Leandro Vissotto, que não participou dos dois jogos anteriores por conta de um edema no tendão patelar do joelho esquerdo, começou no banco e foi substituído por Wallace no time titular.

O Brasil começou o jogo se impondo e rapidamente abriu 5 a 0 após bloqueio de Lucarelli, o que obrigou o técnico Andrey Voronov a paralisar o set. E a tática deu certo. Mesmo cometendo dois erros em sequência, a Rússia igualou no 7 a 7 e dessa vez foi Bernardinho que interrompeu a partida.

Apesar dos muitos erros, a Rússia conseguiu fazer 15 a 11. O Brasil diminuiu a vantagem para um ponto pouco depois, empatou na reta final e virou para 21 a 20. Só que, a partir de então, foi a vez do Brasil falhar em sequência e dar para a Rússia o set-point, confirmado em bloqueio de Muserskyi, que finalizou a parcial em 25 a 23.

A Rússia começou melhor no segundo set. Ao ver o adversário fazer 6 a 2, Bernardinho pediu tempo para evitar o abatimento da equipe e o Brasil diminuiu para um ponto no 8 a 7. Nicolay Pavlov era a principal dor de cabeça da defesa brasileira, que viu os rivais novamente abrirem cinco pontos de diferença e encaminharem a vitória na etapa. O Brasil esboçou uma reação, mas não conseguiu parar a Rússia, que fechou a parcial em 25 a 19.

Na etapa decisiva, os russos se mantiveram melhores e, com o passar do tempo, as possibilidades do Brasil diminuíam. Em dois lances seguidos, Pavlov fez 11 a 4. A Rússia preservou a longa vantagem até o fim do set, e, no fim, Pavlov marcou e confirmou o tricampeonato do país com o 25 a 19.

Brasil perde para Rússia por 3 a 0 em Mar del Plata

Principal campeonato depois da Olimpíada de Londres, a Liga Mundial reuniu novamente os finalistas dos Jogos do ano passado. E o vencedor se repetiu. Com sobras, a Rússia superou a Seleção Brasileira e faturou o tricampeonato do torneio (foi campeã em 2002 e 2011) ao fazer 3 sets a 0, parciais de 25 a 23, 25 a 19 e 25 a 19, no Ginásio Islas Malvinas, em Mar del Plata (ARG).

O grande destaque da partida foi o oposto Nicolay Pavlov, maior pontuador com 22 acertos. No lado brasileiro, o ponteiro Lucarelli foi o jogador com melhor aproveitamento no ataque, com oito.

Esta foi a sexta vez que Brasil e Rússia decidiram o título da Liga. Com a vitória de hoje, o retrospecto está empatado em três a três. Curiosamente, o último título dos brasileiros foi em cima de seus novos algozes, em 2010.

- Temos que reconhecer, (os russos) foram superiores. Quando você deixa eles abrirem uma larga vantagem no set, fica muito dificil (reverter) porque eles forçam muito o saque. Eu acho que tem de ter paciência, a gente está buscando um novo entrosamento, um novo grupo, é aprender com essa derrota - disse o levantador Bruninho, em entrevista ao Sportv.

Nesta edição, os times já haviam se enfrentando na primeira rodada da fase final. Na ocasião, os russos venceram por 3 sets a 2.

O JOGO

Dante, que havia se machucado durante a semifinal contra a Bulgária, se recuperou e começou como titular. Já Leandro Vissotto, que não participou dos dois jogos anteriores por conta de um edema no tendão patelar do joelho esquerdo, começou no banco e foi substituído por Wallace no time titular.

O Brasil começou o jogo se impondo e rapidamente abriu 5 a 0 após bloqueio de Lucarelli, o que obrigou o técnico Andrey Voronov a paralisar o set. E a tática deu certo. Mesmo cometendo dois erros em sequência, a Rússia igualou no 7 a 7 e dessa vez foi Bernardinho que interrompeu a partida.

Apesar dos muitos erros, a Rússia conseguiu fazer 15 a 11. O Brasil diminuiu a vantagem para um ponto pouco depois, empatou na reta final e virou para 21 a 20. Só que, a partir de então, foi a vez do Brasil falhar em sequência e dar para a Rússia o set-point, confirmado em bloqueio de Muserskyi, que finalizou a parcial em 25 a 23.

A Rússia começou melhor no segundo set. Ao ver o adversário fazer 6 a 2, Bernardinho pediu tempo para evitar o abatimento da equipe e o Brasil diminuiu para um ponto no 8 a 7. Nicolay Pavlov era a principal dor de cabeça da defesa brasileira, que viu os rivais novamente abrirem cinco pontos de diferença e encaminharem a vitória na etapa. O Brasil esboçou uma reação, mas não conseguiu parar a Rússia, que fechou a parcial em 25 a 19.

Na etapa decisiva, os russos se mantiveram melhores e, com o passar do tempo, as possibilidades do Brasil diminuíam. Em dois lances seguidos, Pavlov fez 11 a 4. A Rússia preservou a longa vantagem até o fim do set, e, no fim, Pavlov marcou e confirmou o tricampeonato do país com o 25 a 19.

Brasil perde para Rússia por 3 a 0 em Mar del Plata