icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
30/07/2013
18:03

A torcida brasileira é conhecida no mundo do MMA pela força que impôe quando atletas tupiniquins enfrentam lutadores estrangeiros no Brasil. Muitos americanos já até chegaram a declarar publicamente que se impressionaram com o barulho feito pela torcida verde e amarela quando se apresentaram no país. No UFC 163, que acontece neste sábado, no Rio de Janeiro, haverá pelo menos uma pessoa que gosta de se sentir pressionada. Em entrevista ao LANCE!Net, Sheila Gaff comentou o duelo que terá pela frente contra a brasileira Amanda Nunes, avaliou a pressão que a torcida pode exercer na hora do combate e elogiou o Brasil.

- Estou extremamente feliz em poder lutar no Brasil. Será a minha primeira vez no país e estou ansiosa para isso. Será uma honra maior ainda poder enfrentar uma lutadora brasileira em um evento com atletas tão renomados. Estou muito feliz em poder conhecer o país, as pessoas e a cultura do Brasil. Acho que estou mentalmente preparada para encarar a pressão da torcida. Mas gosto quando o público me vaia e estou lutando contra a dona de casa. Vou sentir a energia e dar o meu melhor -declarou a lutadora alemã, em conversa por telefone.

Sobre o combate contra Amanda Nunes, Sheila analisou o jogo da brasileira e mostrou estar preparada para todos os aspectos do estilo da baiana. Independente da vitória, a alemã quer protagonizar um verdadeiro show para o público.

- Sei que Amanda é boa na trocação, gosta da trocar golpes, mas também tem é faixa-marrom de jiu-jitsu. Tenho muito respeito por ela, mas também estou bem preparada para lutar bem. Eu acredito que daremos um grande show ao público presente. Estou muito ansiosa para sentir o público da arena e farei tudo o que puder para dar um grande show para todos os fãs- avaliou.

Fazendo sua segunda luta na organização, Sheila Gaff foi derrotada por nocaute técnico no primeiro round em sua estreia no UFC, em abril passado, diante de Sara McMann. A lutadora acredita que a pressão de seu primeiro combate pesou, mas não quer usar isso como desculpa.

Sheila Gaff foi derrotado por Sara McMann em sua estreia, no UFC 149 (FOTO: UFC)

- Certamente houve um peso grande em relação a pressão na minha estreia. O UFC é um evento tão grande... Mas não quero dar desculpas pela minha derrota. Estou animada para fazer um grande show no sábado e ter uma apresentação muito melhor desta vez - avaliou a atleta.

O UFC 163 acontece neste sábado e terá a disputa do cinturão peso-pena entre José Aldo e Chan Sung Jung na luta principal. O canal Combate fará a transmissão completa do evento a partir das 18h30.

Confira todas as lutas do UFC 163
Card Principal
José Aldo x Chan Sung Jung
Lyoto Machida x Phil Davis
Cezar Mutante x Thiago "Marreta"
Thales Leites x Tom Watson
Card Preliminar
Vinny Magalhães x Anthony Perosh
Amanda Nunes x Sheila Gaff
Serginho Moraes x Neil Magny
Ian McCall x Iliarde Santos
Rani Yahya x Josh Clopton
Viscardi Andrade x Bristol Marunde

A torcida brasileira é conhecida no mundo do MMA pela força que impôe quando atletas tupiniquins enfrentam lutadores estrangeiros no Brasil. Muitos americanos já até chegaram a declarar publicamente que se impressionaram com o barulho feito pela torcida verde e amarela quando se apresentaram no país. No UFC 163, que acontece neste sábado, no Rio de Janeiro, haverá pelo menos uma pessoa que gosta de se sentir pressionada. Em entrevista ao LANCE!Net, Sheila Gaff comentou o duelo que terá pela frente contra a brasileira Amanda Nunes, avaliou a pressão que a torcida pode exercer na hora do combate e elogiou o Brasil.

- Estou extremamente feliz em poder lutar no Brasil. Será a minha primeira vez no país e estou ansiosa para isso. Será uma honra maior ainda poder enfrentar uma lutadora brasileira em um evento com atletas tão renomados. Estou muito feliz em poder conhecer o país, as pessoas e a cultura do Brasil. Acho que estou mentalmente preparada para encarar a pressão da torcida. Mas gosto quando o público me vaia e estou lutando contra a dona de casa. Vou sentir a energia e dar o meu melhor -declarou a lutadora alemã, em conversa por telefone.

Sobre o combate contra Amanda Nunes, Sheila analisou o jogo da brasileira e mostrou estar preparada para todos os aspectos do estilo da baiana. Independente da vitória, a alemã quer protagonizar um verdadeiro show para o público.

- Sei que Amanda é boa na trocação, gosta da trocar golpes, mas também tem é faixa-marrom de jiu-jitsu. Tenho muito respeito por ela, mas também estou bem preparada para lutar bem. Eu acredito que daremos um grande show ao público presente. Estou muito ansiosa para sentir o público da arena e farei tudo o que puder para dar um grande show para todos os fãs- avaliou.

Fazendo sua segunda luta na organização, Sheila Gaff foi derrotada por nocaute técnico no primeiro round em sua estreia no UFC, em abril passado, diante de Sara McMann. A lutadora acredita que a pressão de seu primeiro combate pesou, mas não quer usar isso como desculpa.

Sheila Gaff foi derrotado por Sara McMann em sua estreia, no UFC 149 (FOTO: UFC)

- Certamente houve um peso grande em relação a pressão na minha estreia. O UFC é um evento tão grande... Mas não quero dar desculpas pela minha derrota. Estou animada para fazer um grande show no sábado e ter uma apresentação muito melhor desta vez - avaliou a atleta.

O UFC 163 acontece neste sábado e terá a disputa do cinturão peso-pena entre José Aldo e Chan Sung Jung na luta principal. O canal Combate fará a transmissão completa do evento a partir das 18h30.

Confira todas as lutas do UFC 163
Card Principal
José Aldo x Chan Sung Jung
Lyoto Machida x Phil Davis
Cezar Mutante x Thiago "Marreta"
Thales Leites x Tom Watson
Card Preliminar
Vinny Magalhães x Anthony Perosh
Amanda Nunes x Sheila Gaff
Serginho Moraes x Neil Magny
Ian McCall x Iliarde Santos
Rani Yahya x Josh Clopton
Viscardi Andrade x Bristol Marunde