icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni e Gabriel Carneiro
26/11/2013
09:35

Ídolo no futebol japonês e no Oriente Médio, Emerson passou por quatro clubes brasileiros durante a carreira. Três das torcidas desses times, exceção feita à do São Paulo, pelo qual foi revelado e jogou apenas 19 vezes, hoje pressionam e vaiam o atacante, como aconteceu no Maracanã durante o jogo contra o Flamengo, no último domingo.

O Rubro-Negro foi o primeiro time nacional que Sheik defendeu após se destacar no exterior. Contratado no início de 2009, jogou boa parte do Brasileirão, mas recebeu proposta milionária do Al Ain (EAU) e saiu antes de o time conquistar o título.

Menos de um ano depois, ele voltou para o Brasil, mas para defender o rival Fluminense e marcar o gol que deu ao Tricolor o título do Brasileiro de 2010, na última rodada, contra o Guarani. Em abril do ano seguinte, porém, Sheik foi acusado de cantar o ”Bonde do Mengão sem freio” durante viagem do Flu e também se indispôs com o clube.

“Resgatado” pelo Timão, virou ídolo com dois na final da Libertadores, ganhou o Mundial, mas passou a ser perseguido após dar um selinho em um amigo empresário. Neste momento, vive uma crise técnica sem precedentes no Parque São Jorge.