icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/04/2014
12:49

Para quem achava que o Flamengo já estava morto na Libertadores, a vitória por 2 a 1 sobre o Emelec (EQU), nesta quarta-feira, mostrou que nunca deve-se duvidar do Rubro-Negro. Com sete pontos, a equipe está em terceiro lugar no Grupo 7 e já garante a classificação com uma vitória sobre o León (MEX), na última rodada da primeira fase. Caso o Bolívar (BOL) seja derrotado ou empate com o Emelec (EQU), o Fla terminará a classificatória como líder do grupo.

1. Atenção

Diferentemente dos outros dois jogos que fez fora de casa, o Flamengo entrou muito atento para não sofrer com erros individuais neste duelo contra o Emelec. Contra o León, Amaral foi expulso logo no início do jogo e Samir escorregou no lance que originou o gol do Bolívar em La Paz. Atento e brigador, o Rubro-Negro não deu chance ao azar para seguir vivo na competição.


Samir errou no lance que originou o gol do Bolívar, quando o Flamengo terminou derrotado por 1 a 0.

2. Vontade

Mesmo recheada de desfalques para o jogo em Guaiaquil, o Flamengo entrou em campo brigando muito em cada disputa de bola. A vontade demonstrada pelo time lembrou algumas atuações da campanha vitoriosa na Copa do Brasil do ano passado. A disposição foi elogiada no final da partida.


Paulinho foi o autor do gol da vitória do Flamengo no Equador.

3. Espiríto de Libertadores

Até então, as duas derrotas nos jogos fora de casa vinham amedrontando o Flamengo e o torcedor. Após o jogo, os jogadores e o técnico Jayme de Almeida ressaltaram que a equipe pegou o "espiríto" da competição e que todos entenderam como o time deve se comportar daqui para frente.


Alecsandro, Paulinho e Recife comemoram o gol da vitória rubro-negra em Guaiaquil.

4. Alecsandro

A boa fase do atacante foi fundamental para o Rubro-Negro sair vitorioso. O jogador marcou o primeiro gol, de pênalti, e incomodou muito a defesa adversária. Além disso, foi um jogador que chamou a responsabilidade durante a partida e serviu para segurar a bola na frente, evitando a pressão do time equatoriano.


Alecsandro substituiu Hernane e foi um destaques do Flamengo diante do Emelec.

5. Sorte

Depois de errar ao escalar Welinton na lateral-direita e optar pela entrada de Recife na segunda etapa, o técnico Jayme de Almeida acertou ao chamar Negueba, que descolou um lançamento perfeito para Paulinho desempatar o jogo aos 46 minutos do segundo tempo.


Jayme errou ao escalar Welinton e colocar Recife, mas deu sorte com a entrada de Negueba no jogo.

6. Tabu quebrado

O Emelec não saía derrotado jogando no George Capwell há seis meses. Mesmo com toda a pressão exercida pela torcida adversária, que lotou o acanhado estádio, a jovem equipe do Flamengo conseguiu sair vitorioso e quebrou mais uma escrita.


Emelec não perdia no George Capwell há seis meses

7. Decisão em casa

Como levou a decisão da vaga para a última rodada da fase de classificação, o Flamengo vai decidir o futuro na Libertadores no Maracanã. Como fez com o time na Copa do Brasil, a torcida deve abraçar o time e comparecer em ótimo número para o duelo contra o León, na próxima quarta-feira.


Flamengo vai decidir a vaga contra o Léon (MEX), no Maracanã, na próxima quarta-feira.

OPINIÃO DOS ESPECIALISTAS

Bernardo Cruz
Editor do LANCE!

"O Flamengo não fez uma partida brilhante, mas soube aproveitar as chances que teve contra uma equipe muito limitada. O Alecsandro foi importante e o Jayme de Almeida teve sorte, uma vez que errou ao colocar o jovem Recife na partida, mas acertou quando optou por Negueba"

Mauricio Louro
Editor do LANCE!Net

"A vitória do Flamengo foi legítima. Mostrou que Jayme tem o elenco nas mãos, que Alecsandro sabe como abraçar uma oportunidade para ser titular, que a torcida pode confiar no time nos momentos decisivos. Resta saber se impor também numa situação mais tranquila, no Maraca, para carimbar a vaga"