icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/07/2013
16:15

O governador do estado do Rio de Janeiro Sérgio Cabral anunciou nesta segunda-feira que o Parque Aquático Júlio de Lamare, localizado no Complexo do Maracanã, não será mais demolido. Pelo seu twitter oficial, Cabral revelou que a decisão saiu após uma conversa com o presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, Coaracy Nunes.

"Acabei de falar ao telefone com o presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos. Disse ao Coaracy Nunes que refleti sobre o Júlio de Lamare. Tenho ouvido muitas manifestações em defesa da permanência do Parque Aquático no complexo do Maracanã. Coaracy me disse que o governo com isso estaria atendendo à natação brasileira. Diante disso o Julio de Lamare está mantido", disse o governador em uma série de publicações na rede social.

O Parque Aquático seria derrubado para a construção de áreas de convenções na região. A CBDA vinha organizando uma série de protestos para tentar impedir a demolição do parque, alegando que seria uma grande baixa para os atletas brasileiros. Quanto ao Complexo Esportivo Célio de Barros, Cabral informou que ainda vai se reunir com Carlos Alberto Lancetta, presidente da Federação de Atletismo do Rio de Janeiro, para definir o futuro do complexo.

"Liguei para o presidente da Federação de Atletismo do RJ, Carlos Alberto Lancetta. Marcamos uma conversa nesta quarta-feira para definir o futuro do estádio Célio de Barros. Disse a ele que desejo encontrar a melhor solução para o atletismo do Rio", concluiu o governador.

Por meio de uma nota no site oficial da Confederação, o presidente Coaracy Nunes, que está em Barcelona acomopanhando o Mundial de Esportes Aquáticos, não confirmou a decisão do governador e revelou que um consenso sairá em agosto.

- O Governador conversou amistosamente e disse que está disposto a rever toda a questão. Vamos conversar no início de agosto e temos tudo para chegar a um consenso. O Julio de Lamare é um espaço importante demais para o esporte brasileiro, para a comunidade em geral e não pode desaparecer - disse Coaracy Nunes.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) havia pedido um prazo de 30 dias para definir se autorizaria ou não as demolições do parque aquático e do complexo esportivo. O prazo se encerra no dia 8 de agosto e Cabral e Coaracy marcaram um encontro para o dia 6, dois dias após o encerramento do Mundial de Barcelona.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Complexo Maracanã S.A Entretenimento S.A informou que o governo ainda não fez nenhuma notificação oficial sobre o tema.

O governador do estado do Rio de Janeiro Sérgio Cabral anunciou nesta segunda-feira que o Parque Aquático Júlio de Lamare, localizado no Complexo do Maracanã, não será mais demolido. Pelo seu twitter oficial, Cabral revelou que a decisão saiu após uma conversa com o presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, Coaracy Nunes.

"Acabei de falar ao telefone com o presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos. Disse ao Coaracy Nunes que refleti sobre o Júlio de Lamare. Tenho ouvido muitas manifestações em defesa da permanência do Parque Aquático no complexo do Maracanã. Coaracy me disse que o governo com isso estaria atendendo à natação brasileira. Diante disso o Julio de Lamare está mantido", disse o governador em uma série de publicações na rede social.

O Parque Aquático seria derrubado para a construção de áreas de convenções na região. A CBDA vinha organizando uma série de protestos para tentar impedir a demolição do parque, alegando que seria uma grande baixa para os atletas brasileiros. Quanto ao Complexo Esportivo Célio de Barros, Cabral informou que ainda vai se reunir com Carlos Alberto Lancetta, presidente da Federação de Atletismo do Rio de Janeiro, para definir o futuro do complexo.

"Liguei para o presidente da Federação de Atletismo do RJ, Carlos Alberto Lancetta. Marcamos uma conversa nesta quarta-feira para definir o futuro do estádio Célio de Barros. Disse a ele que desejo encontrar a melhor solução para o atletismo do Rio", concluiu o governador.

Por meio de uma nota no site oficial da Confederação, o presidente Coaracy Nunes, que está em Barcelona acomopanhando o Mundial de Esportes Aquáticos, não confirmou a decisão do governador e revelou que um consenso sairá em agosto.

- O Governador conversou amistosamente e disse que está disposto a rever toda a questão. Vamos conversar no início de agosto e temos tudo para chegar a um consenso. O Julio de Lamare é um espaço importante demais para o esporte brasileiro, para a comunidade em geral e não pode desaparecer - disse Coaracy Nunes.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) havia pedido um prazo de 30 dias para definir se autorizaria ou não as demolições do parque aquático e do complexo esportivo. O prazo se encerra no dia 8 de agosto e Cabral e Coaracy marcaram um encontro para o dia 6, dois dias após o encerramento do Mundial de Barcelona.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Complexo Maracanã S.A Entretenimento S.A informou que o governo ainda não fez nenhuma notificação oficial sobre o tema.