icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/08/2015
11:01

Ser o técnico do time que foi remontado com Neymar e companhia em 2010 rendeu frutos memoráveis ao técnico Dorival Júnior. O experiente treinador é o único da história a comandar o Santos em um título de Copa do Brasil, além de ter um Paulistão no currículo. Mas não é só do Santos da primeira passagem que vive Dorival.

Logo que reassumiu o comando, na zona de rebaixamento do Brasileirão, Dorival guiou o Peixe às quartas de final da Copa do Brasil, virando uma vantagem de 2 a 1 que o Sport havia conquistado em Recife na primeira partida da fase.

Assim, juntando as duas passagens, Dorival Júnior tem números quase perfeitos em mata-matas: dez confrontos eliminatórios e apenas apenas uma queda, na Sul-Americana de 2010, para o Avaí.

Além de ter vencido os únicos dois jogos da competição neste ano, os números de cinco anos atrás são excepcionais, já que ele conquistou o Estadual e a própria Copa do Brasil.

Na Copa de 2010, em seis duelos, contra Naviraiense, Remo-PA, Guarani, Atlético-MG, Grêmio e Vitória, o Alvinegro venceu seis partidas e perdeu cinco, todas fora de casa. Nas derrotas que teve para Grêmio e Galo, nos jogos de ida, da semi e das quartas, respectivamente, conseguiu virar tudo dentro da Vila.

Inclusive, no jogo do título, em Salvador, o Santos foi campeão após perder por 2 a 1 do Vitória, já que garantiu o resultado no primeiro duelo, vencendo pelo placar de 2 a 0.

Se Dorival Júnior guarda algum segredo para os duelos de mata-mata, não se sabe. Fato é que não falta incentivo para os jogadores atuais. No que depender do histórico, Santos e Dorival Júnior podem ter uma classificação a mais para comemorar nesta quarta-feira. O rival que se cuide.

Ser o técnico do time que foi remontado com Neymar e companhia em 2010 rendeu frutos memoráveis ao técnico Dorival Júnior. O experiente treinador é o único da história a comandar o Santos em um título de Copa do Brasil, além de ter um Paulistão no currículo. Mas não é só do Santos da primeira passagem que vive Dorival.

Logo que reassumiu o comando, na zona de rebaixamento do Brasileirão, Dorival guiou o Peixe às quartas de final da Copa do Brasil, virando uma vantagem de 2 a 1 que o Sport havia conquistado em Recife na primeira partida da fase.

Assim, juntando as duas passagens, Dorival Júnior tem números quase perfeitos em mata-matas: dez confrontos eliminatórios e apenas apenas uma queda, na Sul-Americana de 2010, para o Avaí.

Além de ter vencido os únicos dois jogos da competição neste ano, os números de cinco anos atrás são excepcionais, já que ele conquistou o Estadual e a própria Copa do Brasil.

Na Copa de 2010, em seis duelos, contra Naviraiense, Remo-PA, Guarani, Atlético-MG, Grêmio e Vitória, o Alvinegro venceu seis partidas e perdeu cinco, todas fora de casa. Nas derrotas que teve para Grêmio e Galo, nos jogos de ida, da semi e das quartas, respectivamente, conseguiu virar tudo dentro da Vila.

Inclusive, no jogo do título, em Salvador, o Santos foi campeão após perder por 2 a 1 do Vitória, já que garantiu o resultado no primeiro duelo, vencendo pelo placar de 2 a 0.

Se Dorival Júnior guarda algum segredo para os duelos de mata-mata, não se sabe. Fato é que não falta incentivo para os jogadores atuais. No que depender do histórico, Santos e Dorival Júnior podem ter uma classificação a mais para comemorar nesta quarta-feira. O rival que se cuide.