icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/04/2014
08:25

Titulares descansados, principais jogadores à disposição e salários pagos durante a semana (ainda falta um mês). É com esses ingredientes - mais uma pitada da motivação óbvia por enfrentar o maior rival - que o Vasco chega para o primeiro jogo da decisão do Campeonato Carioca, hoje à tarde, contra o Flamengo, no Maracanã.

Como de praxe, o técnico Adilson Batista age com cautela e prefere não confirmar a presença de dois jogadores que chegaram a dar um pequeno susto durante a semana. O lateral-esquerdo Diego Renan e o volante Guiñazú só treinaram no campo ontem, mas estão liberados para jogar. O treinador, porém, não abre mão do mistério.

- Os dois trabalharam bem , mas vamos aguardar uma avaliação final do departamento médico, ainda - despistou.

Ao contrário do adversário, que teve um jogo em Guaiaquil, Equador, no meio da semana, os titulares do Vasco cumpriram todo o planejamento da comissão técnica, com cinco dias livres para treino.

A estratégia pôde acontecer porque o Cruz-Maltino levou o time reserva para o jogo de ida da primeira fase da Copa do Brasil, na última quinta, contra o Resende, em Manaus (AM). Por isso, Adilson comemora o acerto no planejamento.

- Foi normal dentro daquilo que a gente planejou. Somos um time grande e, às vezes, não dá para conciliar competições diferentes. Por isso, fizemos um trabalho aqui e levamos os reservas para Manaus, onde até poderíamos ter vencido. Mas o trabalho todo durante a semana foi muito bom - comentou o treinador.

Com todo estes fatores, o otimismo vascaíno renasce em busca de abrir vantagem para um título que não vem há 26 anos sobre o rival.