icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
11/12/2013
14:12

Já classificada para as oitavas de final do Mundial de Handebol, que está disputado na Sérvia, a Seleção Brasileira feminina conquistou mais uma vitória na primeira fase, nesta quarta-feira. A vítima da vez foi o Japão, que não ofereceu grande resistência às brasileiras e caiu por 24 a 20 na Arena Hala Cair, em Nis (SER).

A Seleção, desta forma, garantiu que dependerá apenas de suas forças para obter a primeira colocação, no duelo da próxima sexta-feira, contra a Dinamarca. Este será o último confronto do Grupo B, que ainda conta com Sérvia, Argélia, China e Japão. Também invicta, a Dinamarca faz o seu quarto jogo ainda nesta quarta-feira, às 17h15 (de Brasília), contra as sérvias.

No caso de uma vitória da Dinamarca, o confronto pela liderança será direto entre os dois times com retrospecto intacto. Uma vitória da Sérvia sobre as dinamarquesas poderia gerar um tríplice empate na ponta do grupo, no caso de derrota brasileira no último duelo do grupo. Neste caso, a decisão das posições ocorreria no saldo de gols.

Ficar em primeiro ou em segundo lugar do grupo seria benéfico também para o Brasil por conta do deslocamento. As duas primeiras equipes do Grupo B atuam desde as oitavas de final até uma possível decisão em Belgrado. Os times que passarem em terceiro e quarto lugares jogariam uma possível partida de quartas de final em Novi Sad - a 60km da capital.

O JOGO

Após encontrar um adversário mais "casual", no caso a Sérvia, a Seleção voltou a ter pela frente um time distinto. O Japão, com seu estilo veloz, dificultou o início do jogo para as brasileiras. A força física verde e amarela, no entanto, fez a diferença.

Morten Soubak optou por escalar Dani Piedade - mais forte - no lugar da capitã Dara, na posição de pivô. A substituição surtiu o efeito esperado e Dani foi responsável por três dos quatro primeiros gols da Seleção.

Vantagem que seria carregada até o intervalo, que teve início com o placar em 12 a 8 para a Seleção. Durante toda a primeira etapa, Morten também mesclou titulares e reservas. Provavelmente, já de olho no duelo com a Dinamarca na sexta-feira. 

A segunda etapa também contou com "caras novas" do Brasil. Deborah Hannah e Mayara, principalmente, ganharam mais tempo em quadra. Aos 20 anos, Deborah é uma das principais apostas para 2016 da comissão técnica e é a mais jovem do elenco.

Com Deborah no comando das ações ofensivas, a equipe brasileira seguiu com boa margem de segurança sobre as japonesas. Um gol de Mayara, a 19 minutos do segundo tempo, deixou o placar em 20 a 15 para a Seleção.

Ao fim do jogo, 24 a 20 de vantagem para as brasileiras. Mas o que importa agora, de fato, é o jogo de sexta-feira. Que venha a Dinamarca!