icons.title signature.placeholder Thiago Correia
26/06/2014
21:03

A seleção do Uruguai já desembarcou no Rio de Janeiro. A Celeste, já sem Suárez, chegou na cidade em que enfrentará a Colômbia, pelas oitavas de final da Copa do Mundo neste sábado, e não foi recebida, na noite desta sexta-feira, por tanta gente. Cerca de vinte torcedores estiveram na porta do hotel em que a delegação ficará, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Podiam ser poucos, mas fizeram bastante barulho. Curiosos e "vizinhos" de continente faziam volume na rua. Por acaso, rivais de toda a parte da América do Sul apareceram, inclusive colombianos.

Antes da chegada do Uruguai o que chamou a atenção foi um atropelamento. Uma jovem foi atravessar a rua, mas acabou sendo atingida por uma moto. Ela foi socorrida e foi levada pela ambulância do Samu. Passado o susto, o assunto passou a ser a punição a Suárez, que está fora da Copa do Mundo por causa da mordida em Chiellini. Até cartazes xingando a Fifa e a Conmebol apareceram.

– É uma pena. Acho que deveria ser punido, mas foi muita coisa. Nove jogos é demais. Mas acredito na seleção uruguaia. Sempre conseguimos tudo na garra, e agora não vai ser diferente – disse Juan Andrés, um dos poucos torcedores uruguaios na porta do hotel.

Também havia espaço para outros sul-americanos. Uma família colombiana apoiou a punição ao atacante e disse que foi levar "má sorte" aos uruguaios. O equatoriano Miguel Bareño, que não tem nada a ver com o jogo, apenas quis ver as estrelas e revelou a torcida para qualquer seleção.

– Infelizmente não deu para o Equador. Não tivemos qualidade suficiente. Agora que vença qualquer seleção sul-americana, que seja o Brasil – animou-se.

Colômbia e Uruguai se enfrentam às 17h deste sábado no Maracanã. Quem avançar terá Brasil ou Chile como adversário nas quartas de final. Duelos que fazem deste Mundial uma espécie de Copa América.