icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/07/2014
08:03

Os 55.459 sócios contabilizados pelo site do Movimento por um Futebol Melhor não englobam os 6 mil associados com problemas cadastrais, denunciados pela oposição do Santos na última quarta-feira, dia 23. Após a polêmica dos "fantasmas", o clube esclareceu a diferença de números e assegurou que haverá um recadastramento de sócios após o processo de atualização feito a partir da contratação da Serasa, empresa referência em serviços de informação para empresas.

De acordo com o Santos, o processo de atualização do cadastro foi iniciado há seis meses. Dos 6 mil sócios que o Serasa identificou problemas, cinco mil eram apenas referentes a grafias de nomes e ruas e já foram ajustados. Dos outros mil casos, 49 são de fato irregulares (as carteirinhas apresentadas com os nomes de Don Vito Corleone, Al Capone, Alexandre Nardoni e Augusto Pinochet, por exemplo). Estes 49 sócios fantasmas têm seus registros bloqueados desde fevereiro e março, segundo a posição oficial do Peixe.

Dos outros 951, cerca de 100 já estão regularizados, e o restante está em processo de apuração. De acordo com nota da comunicação do clube, "os associados serão convocados para um recadastramento em função de constarem pessoas com o mesmo CPF, podendo ser dependentes (filhos e esposas de associados) e algumas pessoas que estão cadastradas sem CPF".

A denúncia da oposição dizia respeito ao fato de que os 6 mil sócios fantasmas poderiam ser votos a favor da situação, o que deixaria um lado da eleição 6 mil votos à frente das outras chapas. A não aceitação do voto à distância foi comemorada pelos grupos opositores e representou a primeira derrota significativa da situação desde a eleição de Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, em 2010.