icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/11/2014
18:39

Em três passagens pelo São Paulo, Luis Fabiano coleciona momentos de idolatria e decepção, mas o balanço do centroavante é positivo. Para retribuir o carinho que recebe do clube e da torcida desde o início do século, Fabuloso espera ajudar o Tricolor a conquistar pelo menos um título neste ano, principalmente o Campeonato Brasileiro.

- Em nennhum momento a gente deve perder a confiança, a esperança. Conquistar títulos é uma obsessão, Sul-americana, Brasileiro... Gostaria muito do Brasileirão, que ainda não tenho currículo. Sinceramente, nunca cheguei a ter vontade de sair desse clube. Se tivesse, sairia. Quando um jogador não quer ficar, ninguém segura. Espero continuar aqui. Para me dar o que o São Paulo me deu, será impossível. Melhores anos da minha carreira - declarou o atacante.

Luis é o artilheiro do Tricolor na temporada com 19 gols, mesmo tendo ficado fora de combate por quase três meses devido a problema muscular na coxa direita. Neste domingo, às 19h30, ele terá mais uma chance de mostrar serviço para o técnico Muricy Ramalho no clássico contra o Palmeiras. E nem a situação delicada do rival, que pode voltar a brigar diretamente contra o rebaixamento, faz Fabuloso perder o foco do título do Brasileirão.

- Nossa satisfação é saber que os três pontos nos aproximam mais do Cruzeiro e nos colocam para brigar pelo título de novo, mais do que rebaixar o adversário. Até porque tem outros jogos ainda e não seria definitivo o rebaixamento. Se fosse, seria outra história. Satisfação é saber que lutamos pelo título. A gente não tem essa rivalidade de rebaixar. Nosso pensamento é a vitória, e não prejudicar o adversário - assegurou.

Com 63 pontos e mais quatro jogos a serem disputados, o São Paulo segue na vice-liderança do Campeonato Brasileiro e ficará mais próximo de uma vaga na Copa Libertadores da América de 2015 em caso de vitória no Choque-Rei. Já o Palmeiras tem 39 pontos na 14ª colocação e precisa vencer para que a distância para a zona de rebaixamento não fique menor do que os cinco pontos atuais.