icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/12/2013
22:08

Durante a derrota por 1 a 0 para o Náutico, neste sábado, o técnico Tite ficou sentado no banco de reservas mais vezes do que costuma ficar. Sem se importar muito com a vitória dos lanternas do Campeonato Brasileiro em sua última partida como técnico do Corinthians, o treinador admitiu que a emoção envolvida na partida da Arena Itaipava Pernambuco tirou sua energia, mas não sua satisfação pelos mais de três anos de trabalho encerrados neste sábado.

- Fiquei muito pilhado, na emoção do jogo. O Rodriguinho até falou pra mim: "pô, professor, sei que o grupo se abalou depois da definição (sobre a saída do treinador), queriam traduzir isto em resultado, mas faltou precisão". Eles também ficaram chateados pelo resultado. Estes jogos que marcaram a despedida é claro que queria vencer. Mas as homenagens da torcida me surpreenderam muito - afirmou o treinador, em sua última entrevista como treinador do Corinthians.

Segundo Edu Gaspar, gerente de futebol do clube, Mano Menezes deve ser anunciado pelo Corinthians até terça-feira. Apesar da saída de Tite, o auxiliar Sylvinho, que é funcionário do clube, continuará prestando serviço ao novo treinador. Neste sábado, na derrota por 1 a 0 na última rodada do Brasileirão, o assistente foi mais ativo, já que Tite ficou no banco de reservas por mais tempo.

- Já no fim do primeiro tempo e até antes de começar o jogo, falei para o Sylvinho: estou com dificuldade, traz para ti algumas orientações, porque a energia falta. Foi da emoção da coisa, de eu saber que daqui a pouco não estou mais aqui. Fica todo mundo envolvido, e de alguma forma eu também fiquei. Foi uma das poucas vezes em que o banco foi meu parceiro. Eu estava sentando toda hora - disse Tite, bem humorado.

Na semana passada, em duelo contra o Internacional, Tite recebeu homenagens da diretoria e da torcida em seu último jogo no estádio do Pacaembu. Neste sábado, os corintianos que compareceram à Arena Itaipava também cantaram o nome do treinador, que concedeu diversas entrevistas nos últimos dias.

- As pessoas às vezes falam que tem que esperar em vida para fazer alguma homenagem. Geralmente se sai de um clube por uma má fase, repentinamente, mas agora é diferente, de ficar ainda alguns jogos até se despedir e terminar como terminou agora. Sou sempre surpreendido por gestos de carinho ou admiração. É unico, não tem adjetivo - encerrou, emocionado.