icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/07/2013
12:54

O fracasso do São Paulo na Libertadores e a eliminação no Paulistão deste ano fizeram com que as críticas do torcedor são-paulino recaíssem, em grande parte, sobre Luis Fabiano. Com a suspensão de quatro partidas no torneio continental e o pênalti perdido contra o Corinthians na semifinal do Estadual, o grito das arquibancadas voltou a cobrar maior participação do camisa 9 em decisões. Cobrança que, para Fabuloso, não tem fundamento.

- Eu ignoro esse tipo de crítica. Numeros estão aí para verem. É só olhar os números da minha carreira, pelo Sevilla, na Seleção. Estou tranquilo quanto a isso. Enquanto o São Paulo não conquistar grandes coisas e verem um gol do Luis Fabiano, não vai acabar. Não sei se o dia que eu marcar um gol também vão me xingar ou me apoiar. Não é possível que 178 gols (soma 173 na verdade, empatado com Luizinho) sejam marcados só em times pequenos, jogos fáceis. Uma hora isso aí vai acabar. Uma hora que a gente levantar uma taça, o Luis Fabiano vai ser bom de novo, vai ser o cara - disse, em entrevista coletiva nesta segunda.

Por outro lado, o atacante diz que críticas dos torcedpres fazem parte da carreira, tendo eles razão ou não. Nesta quarta-feira, diante do rival alvinegro no jogo de ida da Recopa Sul-Americana, Luis Fabiano sabe o que tem de fazer para que os são-paulinos saiam felizes do Morumbi.

- Se eu não gostasse de críticas, eu abandonava o futebol. Desde quando eu cheguei, passei por situações de lesão, fiquei fora... Se eu não soubesse passar por essas coisas, não teria mais paciência para jogar futebol. Meu pensamento está positivo, espero que a gente consiga vencer, ser campeão, não me passou pela cabeça ainda o que vai acontecer depois do jogo. Espero que as coisas deem certo para o São Paulo. Se não derem, a vida continua. Eu sei o que vai acontecer, estou mais do que acostumado - completou.

Fabuloso se espelha em baile na Espanha pra vencer a Recopa

O fracasso do São Paulo na Libertadores e a eliminação no Paulistão deste ano fizeram com que as críticas do torcedor são-paulino recaíssem, em grande parte, sobre Luis Fabiano. Com a suspensão de quatro partidas no torneio continental e o pênalti perdido contra o Corinthians na semifinal do Estadual, o grito das arquibancadas voltou a cobrar maior participação do camisa 9 em decisões. Cobrança que, para Fabuloso, não tem fundamento.

- Eu ignoro esse tipo de crítica. Numeros estão aí para verem. É só olhar os números da minha carreira, pelo Sevilla, na Seleção. Estou tranquilo quanto a isso. Enquanto o São Paulo não conquistar grandes coisas e verem um gol do Luis Fabiano, não vai acabar. Não sei se o dia que eu marcar um gol também vão me xingar ou me apoiar. Não é possível que 178 gols (soma 173 na verdade, empatado com Luizinho) sejam marcados só em times pequenos, jogos fáceis. Uma hora isso aí vai acabar. Uma hora que a gente levantar uma taça, o Luis Fabiano vai ser bom de novo, vai ser o cara - disse, em entrevista coletiva nesta segunda.

Por outro lado, o atacante diz que críticas dos torcedpres fazem parte da carreira, tendo eles razão ou não. Nesta quarta-feira, diante do rival alvinegro no jogo de ida da Recopa Sul-Americana, Luis Fabiano sabe o que tem de fazer para que os são-paulinos saiam felizes do Morumbi.

- Se eu não gostasse de críticas, eu abandonava o futebol. Desde quando eu cheguei, passei por situações de lesão, fiquei fora... Se eu não soubesse passar por essas coisas, não teria mais paciência para jogar futebol. Meu pensamento está positivo, espero que a gente consiga vencer, ser campeão, não me passou pela cabeça ainda o que vai acontecer depois do jogo. Espero que as coisas deem certo para o São Paulo. Se não derem, a vida continua. Eu sei o que vai acontecer, estou mais do que acostumado - completou.

Fabuloso se espelha em baile na Espanha pra vencer a Recopa