icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/03/2014
19:15

O Corinthians foi o primeiro alvo de ação trabalhista por parte do Sindicato dos Atletas do Estado de São Paulo, que pede R$ 6,2 milhões pela invasão de torcedores ao CT no último dia 1º de fevereiro. Mas não será o último.

A garantia foi dada por Washington Rodrigues de Oliveira, um dos advogados do Sapesp. Questionado pela reportagem do LANCE!Net sobre outras invasões de torcedores organizados a propropriedade privadas de clubes paulistas que não viraram ações trabalhistas, o representante do sindicato garantiu atitude igual em caso de novos episódios.

Para o advogado do Sapesp, a busca por responsabilização faz parte do atual cotidiano dos brasileiros, independentemente do tema.

- A movimentação do Sindicato é fruto da própria movimentação da sociedade, que busca mais responsabilizações. É mais o momento mesmo, está transbordando, pede-se uma formação de responsabilização - afirmou o advogado.

- Se vê isso na própria questão do racismo, as pessoas estão bem mais mobilizadas do que era no passado. Naquele episódio do João Vitor, do Palmeiras, o Sindicato tentou fazer alguma coisa, mas não teve a ajuda de nenhum jogador de outro clube, apenas os atletas do Palmeiras foram à reunião - completou Washington.

A primeira audiência entre Sapesp e Corinthians na Justiça do Trabalho acontecerá no mês de junho.