icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
14/06/2014
09:12

O saldo do último dia de Felipão e seus comandados à frente da televisão foi: alerta ligado com o lado esquerdo ofensivo do México, “alívio” com nova rodada repleta de erros de arbitragem e surpresa com a surra sofrida pela Espanha, que pode pintar nas oitavas de final como rival da Seleção.

O Brasil treinaria às 15h30 de sexta pela programação inicial. Mas já na noite de quinta Luiz Felipe Scolari avisou que a atividade seria às 11h. Foi o que aconteceu, com reservas na caixa de areia, goleiros no campo e titulares fazendo musculação. Depois, olhos atentos nas televisões da Granja Comary.

– Vou assistir quase todos os jogos, é legal ver jogo de Copa do Mundo – afirmou o meia Oscar.

Felipão e os jogadores analisaram os próximos adversários na fase de grupos: México e Camarões. E acompanharam a estreia do Grupo B, com Espanha, Holanda, Chile ou Austrália. Um deles pegará o Brasil.

Roque Júnior, ex-zagueiro, penta com Scolari em 2002, é o responsável por dissecar mexicanos e camaroneses. Ele levará relatório à Granja, primeiro, sobre o México, adversário da próximo terça, em Fortaleza.

O lateral Layun, pela esquerda, já é motivo de cuidado: foi muito presente no campo de ataque na vitória por 1 a 0 sobre Camarões. O setor direito da defesa, onde joga Daniel Alves, foi o de pior desempenho na estreia e mostrou muitos problemas na preparação. Os africanos, rivais do dia 24, praticamente só atacam pelo mesmo lado, com o habilidoso lateral Ekotto. O atacante Choupo Moting joga aberto por aquele lado.

– Alguns espaços têm de ser fechados de forma diferente – disse Felipão, sem dar detalhes em público.

Os dois gols legais anulados do México, e mais lances duvidosos no massacre da Holanda por 5 a 1 sobre a Espanha, deram certo alívio em comissão técnica e atletas, que se irritaram com insinuações da imprensa internacional e temem que a repercussão possa se voltar contra o Brasil. Novas falhas graves, na visão da CBF, prova que não há privilégios. Como estratégia, Fred já se pronunciou em vídeo oficial,

Alexandre Gallo está colhendo dados do Grupo B, com holandeses e chilenos já na frente. A Holanda desponta como a maior pedreira. Com saldo defasado, a Espanha agora terá mais dificuldades de ser líder. Felipão sempre exaltou o Chile, que fez ótimo primeiro tempo contra a Austrália, mas tomou sustos no segundo tempo antes de vencer por 3 a 1.