icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/07/2013
08:42

Quando entrar em quadra nesta sexta-feira às 16h30 (de Brasília) em Mar del Plata (ARG) para enfrentar o Canadá, o time comandado por Bernardinho vivenciará uma situação com a qual não se acostumou. A Seleção Brasileira precisa vencer o time da América do Norte a fim de evitar a quebra de um tabu que sustenta há 15 anos.

Esse é o tempo que o time nacional está sem ficar duas vezes seguidas fora da semifinal da Liga Mundial. Após a derrota para a Rússia por 3 sets a 2 na última quarta-feira, a Seleção ficou em uma situação delicada no Grupo E da fase final.

A Rússia lidera a chave com três pontos após a derrota desta quinta-feira para o Canadá por 3 a 2 (20-25, 21-25, 25-23, 25-22 e 15-11). O Canadá possui dois, enquanto o Brasil segura a lanterna, com um. A Seleção precisa vencer por 3 a 0 ou 3 a 1 para garantir-se na próxima fase. Uma vitória por 3 sets a 2 gerará um empate triplo, e a vaga será decidida no saldo de pontos.

Em 2012, o cenário foi semelhante. Uma derrota para Cuba e outro revés para a Polônia e o time brasileiro foi eliminado ainda nos jogos iniciais da última fase da principal competição anual do vôlei.

A última vez que o Brasil ficou fora de forma consecutiva da semifinal da Liga Mundial ocorreu entre as edições 1997 e 1998, quando foi quinto nas duas oportunidades.

– O Canadá, embora seja uma equipe de menos tradição, é forte e trabalha muito bem. Se classificou por méritos e vai colocar pressão. É importante que tenhamos determinação. Que essa estreia tenha servido para soltar um pouco mais – disse Bernardinho, após a derrota para a Rússia na quarta-feira.

Se o retrospecto for considerado, o Brasil leva uma pequena vantagem sobre os canadenses. Além da tradição, já que possui nove títulos da Liga Mundial, a Seleção Brasileira superou o rival nos confrontos da Liga Mundial do ano passado. Os times se enfrentaram em quatro ocasiões, e os duelos terminaram com três vitórias brasileiras contra apenas uma do Canadá.

Quando entrar em quadra nesta sexta-feira às 16h30 (de Brasília) em Mar del Plata (ARG) para enfrentar o Canadá, o time comandado por Bernardinho vivenciará uma situação com a qual não se acostumou. A Seleção Brasileira precisa vencer o time da América do Norte a fim de evitar a quebra de um tabu que sustenta há 15 anos.

Esse é o tempo que o time nacional está sem ficar duas vezes seguidas fora da semifinal da Liga Mundial. Após a derrota para a Rússia por 3 sets a 2 na última quarta-feira, a Seleção ficou em uma situação delicada no Grupo E da fase final.

A Rússia lidera a chave com três pontos após a derrota desta quinta-feira para o Canadá por 3 a 2 (20-25, 21-25, 25-23, 25-22 e 15-11). O Canadá possui dois, enquanto o Brasil segura a lanterna, com um. A Seleção precisa vencer por 3 a 0 ou 3 a 1 para garantir-se na próxima fase. Uma vitória por 3 sets a 2 gerará um empate triplo, e a vaga será decidida no saldo de pontos.

Em 2012, o cenário foi semelhante. Uma derrota para Cuba e outro revés para a Polônia e o time brasileiro foi eliminado ainda nos jogos iniciais da última fase da principal competição anual do vôlei.

A última vez que o Brasil ficou fora de forma consecutiva da semifinal da Liga Mundial ocorreu entre as edições 1997 e 1998, quando foi quinto nas duas oportunidades.

– O Canadá, embora seja uma equipe de menos tradição, é forte e trabalha muito bem. Se classificou por méritos e vai colocar pressão. É importante que tenhamos determinação. Que essa estreia tenha servido para soltar um pouco mais – disse Bernardinho, após a derrota para a Rússia na quarta-feira.

Se o retrospecto for considerado, o Brasil leva uma pequena vantagem sobre os canadenses. Além da tradição, já que possui nove títulos da Liga Mundial, a Seleção Brasileira superou o rival nos confrontos da Liga Mundial do ano passado. Os times se enfrentaram em quatro ocasiões, e os duelos terminaram com três vitórias brasileiras contra apenas uma do Canadá.