icons.title signature.placeholder Felipe Mendes
31/07/2014
22:17

Diante de um Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, com público pequeno, a Seleção Brasileira masculina de basquete fez, nesta quinta-feiira sua primeira partida com força máxima desde os Jogos Olímpicos de Londres-2012. E não decepcionou os torcedores. Com um forte jogo defensivo, bons trabalhos no ataque e contra-ataques fatais, a equipe do técnico argentino Rubén Magnano derrotou Angola por 98 a 60, no Desafio Super BRA.

Neste sábado, às 10h (de Brasília), o Brasil encara a Argentina. Para esta partida, ainda restam ingressos de arquibancada (R$ 50).

O cestinha da volta da Seleção ao Rio após cinco anos foi o Marcelinho Huertas, com 12 pontos.

Uma gafe marcou o pré-jogo. Enquanto o locutor respeitou a torcida brasileira cantando o hino à capela, o mesmo não aconteceu com Angola. Ele simplesmente ignorou os torcedores e anunciou o hino do Brasil antes que os angolanos finalizassem o canto.

O Brasil começou a partida com Marcelinho Huertas, Alex, Marquinhos, Tiago Splitter e Nenê. E começou bem, abrindo, com facilidade, 9 a 0. O rival conseguiu os primeiros dois pontos depois de três minutos.

Com a vantagem no placar, Magnano começou a rodar a equipe. Com o time todo reserva, o Brasil errou mais, porém isso não foi o suficiente para Angola reagir: 26 a 8.

No segundo quarto, o Brasil continuou com os reservas. E Angola aproveitou. Mesmo com a volta de alguns titulares, os rivais seguiram bem e o Brasil venceu por 22 a 19.

O Brasil voltou bem para o terceiro quarto, mostrando bom entrosamento no ataque. Na defesa, o time de Magnano mostrava solidez.

No último quarto, o Brasil administrou o placar. E ainda viu a torcida ovacionar Nenê, vaiado no ano passado quando jogou no Rio pelo Washington Wizards, da NBA.