icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
07/07/2014
07:01

Mano Menezes foi técnico da Seleção Brasileira entre julho de 2010 e novembro de 2012, convocou pela primeira vez a maioria dos jogadores que hoje disputam a Copa do Mundo, mas ainda não conseguiu superar completamente a saída prematura do cargo. De longe, acompanha o trabalho do sucessor Luiz Felipe Scolari, que põe o time em campo nesta terça-feira para a semifinal da Copa, contra a Alemanha. E nos vestiários do estádio Uberabão, onde o Corinthians disputou um amistoso neste domingo, prefere nem falar sobre o assunto.

- Vocês não vão me ouvir sobre Copa do Mundo. Só depois - resumiu o treinador, sem adiantar quando ou o que pretende falar a respeito da Seleção Brasileira.

Após a saída da Seleção Brasileira, Mano trabalhou por três meses no Flamengo antes de assumir o Corinthians, no início da temporada. Atualmente, ocupa o terceiro lugar do Campeonato Brasileiro, remonta o elenco do clube após os anos de glória da Era Tite e tenta esquecer o trauma de ser escolhido para dirigir o Brasil na Copa do Mundo realizada aqui após 64 anos, mas deixar o posto um ano e meio antes, com 33 partidas e 21 vitórias.

Um dos orgulhos de Mano Menezes é ter sido o primeiro treinador a convocar Neymar para vestir a amarelinha, logo na primeira partida após a saída de Dunga e o fracasso na Copa da África do Sul. O astro hoje veste a camisa 10, mas está fora da sequência do Mundial por conta de uma joelhada nas costas recebida do colombiano Zúñiga, que fraturou sua vértebra. Sem mágoas, Mano fez questão de enviar mensagem de apoio para o ex-comandado.

- É lastimável que um jogador tão importante sofra uma lesão que o tire de um momento para o qual ele trabalhou tanto para conseguir. Desejo a ele uma boa recuperação e tenho certeza que isso vai acontecer, porque ele merece que seja assim.