icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/11/2013
08:07

Apesar de não ter subido ao pódio em nenhuma grande competição até aqui, a Seleção Brasileira feminina de handebol, definitivamente, angariou o respeito das rivais. Prova disso é o status com o qual o time chega ao Mundial da Sérvia, que ocorrerá de 6 a 22 de dezembro, na Europa.

Capitã da Sérvia – seleção que compõe o Grupo B do Mundial ao lado de Brasil, Argélia, Japão, China e Dinamarca – a jogadora Andrea Lekic coloca o time verde e amarelo como o principal postulante não só à liderança da chave, como também ao título do torneio.

– A Seleção Brasileira é a nossa principal rival. Estamos falando de um time que tem jogado junto há muito tempo e está se preparando para uma Olimpíada em casa. São fatores que falam por si só – disse.

Lekic também citou a qualidade das jogadoras brasileiras, em especial Alexandra Nascimento, eleita no ano passado a melhora atleta de handebol do planeta. Segundo ela, o elenco aliado à capacidade individual do país pode fazer a diferença.

– São jogadoras excepcionais. Isso pôde ser visto recentemente nas últimas partidas disputadas pelo Brasil. No Grupo B, ainda há a Dinamarca, que é bem forte – concluiu Lekic.

Nas últimas competições, a Seleção Brasileira bateu na trave para conseguir uma medalha. No último Mundial, disputado em 2011 no Brasil, o time ficou com o quinto lugar.

Um ano mais tarde, caiu nas quartas de final dos Jogos Olímpicos de Londres, ao perder de virada para a seleção norueguesa, que sagraria-se campeão olímpica posteriormente.

Agora, pelo menos na visão das rivais, chegou a hora de o Brasil surpreender e acabar com o tabu.

BRASIL FAVORITO?

A Seleção Brasileira tem se destacado no cenário internacional recentemente. Confira abaixo alguns motivos pelos quais o Brasil pode ser considerado um dos favoritos.

Conquistas
Dois títulos na Europa tiveram o dedo de jogadoras brasileiras. O Gyor, da Hungria, faturou a Champions League feminina e conta com Duda Amorim em seu elenco. O Hypo, que é a base da Seleção na Europa, conquistou três taças seguidas na Áustria desde a vinda de sete atletas do Brasil.

Melhor do mundo
Uma das brasileiras que atuam no Hypo é a ponta Alexandra Nascimento. No ano passado, ela foi eleita pela Federação Internacional a melhor jogadora do planeta.