icons.title signature.placeholder Fábio Suzuki e Marcelo Damato
12/07/2014
20:43

A decadência do futebol alemão nos anos 90 teve várias semelhanças com a do futebol brasileiro na atualidade. Deficiência na formação de jogadores, problemas nos sistemas de jogo e eliminações precoces nos principais torneios de futebol ocorreram tanto com a Alemanha do final do século passado como também com a Seleção Brasileira nos dias de hoje. Mas a grande diferença é que os alemães reagiram com muito mais rapidez.

Entre esses pontos similares estão:

1) Deficiência na formação de jogadores:
Alemanha - Em meados dos anos 90, a falta de jogadores promissores obrigou os técnicos da seleção a convocar atletas que já não tinham tanto desempenho. Em 1998, 17 dos 22 jogadores tinham ao menos 28 anos e o mais jovem tinha 24.
Brasil - Na Seleção, a carência de valores é gritante, tanto que não houve grande contestação à convocação de jogadores como Jô, Bernard e Henrique. E Júlio Cesar, mesmo quase aposentado, foi titular.
Outro sinal da decadência é que no Brasil primeiro sumiram os famosos "camisas 10", jogadores ofensivos de meio-campo ou pontas-de-lanças que sempre foram a marca do futebol brasileiro. A partir dos anos 90, eles foram substituídos por centroavantes e também esses desapareceram, com exceções como Neymar.


2) Sistemas de jogo deficientes:
Alemanha - Como os jogadores alemães tinham menos qualidade do que em outras épocas, os sistemas de jogo se simplificaram, abusando mais do jogo físico e das jogadas aéreas e de bola parada. Para evitar derrotas, os times eram muito defensivos, deixando alguns atacantes isolados na frente
Brasil – alguma palavra dessa descrição não se encaixa na Seleção de Felipão? E não apenas na dele, para ser honesto.

3) Eliminações precoces em torneios:
Alemanha
Copa 1994 - Derrota de 2 a 1 para a Bulgária nas quartas de final
Copa 1998 - Derrota de 3 a 0 para a Croácia nas quartas de final
Euro 2000 - Último lugar na fase de grupos
Eliminatórias 2001 - Derrota de 5 a 1 para a Inglaterra em casa
Euro 2004 - Eliminada na fase de grupos

Brasil
Copa 2006 - Eliminado nas quartas de final, sem jogar bem - 1 a 0 para a França 
Copa América 2011 – Eliminado nas quartas de final - derrota nos pênaltis para o Paraguai 
Copa 2010 - Eliminado nas quartas de final, sem jogar bem - 2 a 1 para a Holanda
Olimpíada 2012 - Derrota na final - 2 a 1 para o México
Copa 2014 - Eliminação nas semifinais com derrota de 7 a 1 para Alemanha

Para solucionar os problemas, o futebol alemão implementou um longo processo de reformulação da modalidade no país que teve início em 2002. O projeto começou com maiores investimentos nas categorias de base e envolveu mudanças na administração dos clubes e novo estilo de jogo da própria seleção.

O resultado apareceu nesta Copa do Mundo, onde a equipe alemã está prestes de conquistar seu quarto título mundial apresentando um futebol moderno, com inovações táticas e com um grupo formado por vários jovens talentos que poderão jogar também o Mundial de 2018.

Para seguir o mesmo caminho da Alemanha, o Brasil terá que passar por grandes mudanças que hoje estão muito longe de acontecer dada a estrutura administrativa do futebol brasileiro. Entre elas, estaria a importação de métodos mais modernos de jogo.

- A cultura brasileira não dá importância para estudos no futebol. O ideal seria aproveitar a marca registrada do futebol brasileiro, caracterizado pela criatividade e o improviso, para desenvolver uma nova proposta de jogo mais moderna – avalia Eduardo Conde Tega, diretor-executivo da Universidade do Futebol.