icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
03/07/2014
08:50

— Se não fosse Lio, eu já estava lá em Buenos Aires, vendo a Copa do Mundo pela televisão, tomando mate e aguentando a minha mulher. Essa é a realidade.

A frase acima foi dita por um jornalista argentino na zona mista da Arena Corinthians na última terça-feira, poucos minutos depois de Lionel Messi arrancar, driblar e achar Di María sem marcação a dois minutos do término da prorrogação. O gol saiu e a vaga nas quartas de final da Copa foi garantida.

O desabafo do profissional de imprensa, que enaltece a importância do camisa 10 para a seleção de seu país, não se trata de um sentimento. Mas, sim, da realidade e da frieza dos números, que comprovam a Messidependência. Afinal, dos sete gols da equipe na competição, seis saíram dos seus pés.

MAIS COPA
- Argentinos são vistos como a salvação da Copa em Brasília
- Após seis dias na reserva, Paulinho ganha nova chance e quer sequência
- Porto Alegre planeja 'Caminho do Gol' para Beira-Rio e Arena e até em Gre-Nal

O meia-atacante do Barcelona fez quatro gols (um contra a Bósnia, um contra o Irã e outros dois contra a Nigéria) e ainda deu duas assistências. As bolas que terminaram nos gols de Sead Kolasinac (contra) e Di María também saíram dos seus pés, tão fundamentais.


Lionel Messi marcou duas vezes contra a Nigéria (Foto: Jewel Samad/ AFP)

– Messi está fazendo um grande Mundial, como todos esperavam, inclusive ele mesmo, seus companheiros e o público argentino. Estamos muito felizes e é um jogador determinante para nós, assim como Maradona era – afirmou o técnico Sabella, que ainda completou:

– Messi é o melhor do mundo. É claro que há uma dependência nesta classe de jogadores – lembrou.

A reportagem do LANCE!Net fez um levantamento dos gols e dos principais jogadores das outras sete seleções que ainda sonham com o título mundial. Todos têm números expressivos, que demonstram a importância perante suas equipes. Mas sem a mesma proporção de Messi, que participou de 85% dos gols marcados pela Argentina.

Questionado se a competição em solo brasileiro pode ser "A Copa de Messi", o camisa 10 manteve os pés no chão, como é sua tradicional.

– Não, não sei. Sinto que pode ser um Mundial da Argentina, porque hoje (terça) sentimos e sofremos, porque tivemos a sorte do nosso lado também. Por isso, continuamos esperançosos – lembrou Messi.

OS SETE GOLS DA ARGENTINA NA COPA 2014:

Bósnia (I)
Com apenas três minutos da Copa, Messi se fez presente. Foi ele quem bateu a falta que fez a bola parar na perna de Sead Kolasinac, que se atrapalhou e fez gol a favor da Argentina.

Bósnia (II)
O camisa 10 não jogava bem na estreia, assim como toda a equipe. Mas resolveu arrancar com a bola, driblar e acertar o canto direito de Begovic, que nada pôde fazer. Golaço!


Camisa 10 fez o segundo gol argentino sobre a Bósnia (Fotos: Juan Mabromata /AFP)

Irã
A Argentina não conseguiu balançar as redes do rival, que se defendeu com perfeição. Mas, nos acréscimos, Messi resolveu aparecer. Chute de fora da área, golaço e vitória!

Nigéria (I)
Logo aos três minutos, Messi pegou rebote de uma jogada do ataque argentino e, com um chute de rara felicidade, estufou a rede do goleiro Enyeama, que só olhou e viu a bola entrar...

Nigéria (II)
Falta na intermediária do lado direito, onde o meia do Barcelona (ESP) gosta de bater. E não deu outra. Bola por cima da barreira, goleiro estático e mais um gol na Copa do Mundo.

Nigéria (III) – X
O único gol da Argentina no Mundial sem a participação de Messi, que estava dentro da área quando o lateral-esquerdo Rojo recebeu cruzamento e, de cabeça, fez o terceiro da equipe.

Suíça
A equipe europeia conseguiu marcar os argentinos durante 118 minutos, até que Palacio roubou uma bola e tocou para Messi, que arrancou e achou Di María, livre. Gol que deu a vaga!

ASTROS DAS OUTRAS SETE SELEÇÕES DAS QUARTAS DE FINAL:

Arjen Robben (5/12) - Holanda
Se a equipe laranja tem o ataque mais poderoso da Copa do Mundo, com 12 gols, Robben é aquele que mais colaborou para isso, com cinco participações (três gols e duas assistências).


Robben vem sendo o destaque da Holanda (Foto: William West/AFP)

James Rodriguez (7/11) - Colômbia
Seleção sul-americana que é maior sensação do Mundial – ou pelo menos a que menos sofreu até agora –, marcou 11 gols e apenas quatro deles não teve os pés do meia-atacante, que fez cinco gols e deu duas assistências.


James Rodríguez é o artilheiro da Copa (Foto: Eitan Abramovich/ AFP)

Karim Benzema (6/10) - França
Centroavante faz uma grande Copa e, sem dúvida, é o maior destaque da equipe europeia na competição. O atacante marcou três gols e deu outros três para seus companheiros (10 no total).


Benzema é o destaque da França na Copa (Foto: Franck Fife/AFP)

Thomas Muller (5/9) - Alemanha
Atacante não apenas vem jogando bem e ajudando sua equipe, como vem sendo fundamental nos gols alemães na Copa. O camisa 13 marcou quatro vezes e ainda deu um passe para o gol de um dos seus companheiros.


Muller já fez quatro gols pela Alemanha (Foto: Nelson Almeida/ AFP)

Neymar (4/8) - Brasil
Neymar vem sendo fundamental para a equipe de Felipão. E não é para menos. O camisa 10 fez a metade dos gols da equipe na Copa do Mundo. Por duas vezes, o astro fez dois gols...


Atacante Neymar é a referência do Brasil (Foto: Ari Ferreira/ LANCE!Press)

Romelu Lukaku (2/6) - Bélgica
Uma das surpresas das quartas de final, o time europeu divide com maestria de seus gols, já que seis atletas diferentes deixaram a marca no Mundial. O atacante de maior destaque fez o dele, e ainda colaborou com um colega.


Lukaku é uma das referências da Bélgica no Mundial (Foto: Francisco Leong/AFP)

Bryan Ruíz (2/5) - Costa Rica
Camisa 10, canhoto, articulador de jogadas e maior preocupação dos adversários, Bryan Ruiz fez dois dos cinco gols da principal zebra entre os oito melhores da competição. Vem mais por aí?


Capitão Bryan Ruíz é a esperança de gols da Costa Rica (Foto: Pedro Ugarte/ AFP)