icons.title signature.placeholder Russel Dias
10/02/2015
07:06

Contratar um goleiro é algo raro na Vila Belmiro, já que o Santos costuma dar oportunidades aos jogadores vindos da base. Mas neste ano, após a saída de Aranha, o clube se movimentou para trazer um novo "dono" para a camisa 1. Se mexeu mesmo, já que entre os sete reforços que chegaram, o diretor-executivo Dagoberto dos Santos só viajou para negociar pelo goleiro Vanderlei. Em campo, o técnico Enderson Moreira gostou de ter seu pedido atendido e colocou o atleta para jogar assim que pôde.

Todo o esforço feito pelo Santos para o tirar do Coritiba, clube em que é ídolo, com 301 jogos, convenceram Vanderlei. Para o jogador, foi uma decisão difícil deixar sua "casa". Por conta disso, a meta do novo santista é "simples": ser ídolo de outra torcida.

– Claro que eu quero fazer história. No Coritiba foi tudo muito bonito, quero ser feliz aqui e ter meu nome na história como grande goleiro. Quero conquistar muitos títulos – disse o jogador, de 1,95 m de altura.

Nos últimos anos, Vanderlei sempre teve seu nome ligado ao Santos, que sempre se interessou pelo goleiro. Nesta temporada, quando perdeu Aranha, o Peixe decidiu que o namoro teria de virar casamento, já que os pratas da casa, como Vladimir, ainda precisavam ganhar experiência para se firmarem.

E Vanderlei tem outro "privilégio". A última vez que o Alvinegro foi ao mercado em busca de um goleiro foi em 2011, justamente para trazer Aranha. Mas o goleiro, atualmente no Palmeiras, foi contratado apenas para ser reserva de Rafael Cabral. E só ganhou a titularidade mais de um ano depois, quando o antigo dono da posção foi para o Napoli (ITA).

Antes disso, o Peixe só foi ao mercado quando Fábio Costa saiu do clube em 2004 para ir para o Corinthians. Mauro chegou e acabou campeão brasileiro daquela temporada. Mesmo assim, não se firmou.

Antes da volta de Fábio Costa em 2006, o Peixe ainda trouxe o chileno Tapia em 2004 e, um ano depois, o colombiano Henao. Ambos também não caíram nas graças.

Apesar de o técnico Enderson Moreira elogiar Vladmir, ele deixou claro que, a partir de agora, Vanderlei terá uma sequência de jogos, que começou no último domingo.

Aos 31 anos de idade e com três temporadas de contrato, Vanderlei quer repetir em o sucesso que teve em mais de 300 jogos pelo Coxa. Para isso, ele sabe que terá vários desafios pela frente...

(Foto: Ricardo Saibun /Santos FC)

VEJA UM BATE-BOLA COM O GOLEIRO VANDERLEI:

Ficou surpreso em ter uma chance logo de cara?
Fiquei feliz. Eu estava trabalhando e esperando a hora de entrar em campo. A hora que o Enderson Moreira me deu a notícia, fiquei feliz e procurei fazer o meu melhor.

Que avaliação você fez da sua estreia pelo Santos?
É sempre bom estrear com o pé direito, e a equipe se portou muito bem dentro de campo. Agora tem clássico contra o São Paulo, e temos que mostrar que temos força dentro da nossa casa.

Depois do que o Enderson disse sobre você, é certo dizer que você é o titular absoluto?
É difícil falar assim. Todos os goleiros que estão aqui estão preparados e trabalhando forte para jogar. Toda vez que eu entrar em campo, vou tentar concretizar minha transição fazendo o meu melhor.

Foi um sonho que você realizou ao entrar em campo com a camisa do Santos?
Quem não quer jogar e participar da história do Santos? Esse clube é gigante e tem uma história linda. A torcida apoiou a todo momento. Foi importante para a gente subir na tabela desta forma.

OS ÚLTIMOS GOLEIROS CONTRATADOS PELO SANTOS:

2011
Vindo do Atlético-MG, Aranha veio para ser o substituto de Rafael. Ao todo, fez 125 jogos.

2009
Sob o comando de Luxemburgo, o experiente Sérgio, que tem passagem pelo Palmeiras, foi contratado aos 39 anos de idade, mas não teve sucesso.

2008
O goleiro Douglas veio do Sertãozinho, mas não resolveu o problema da meta e foi emprestado ao Ipatinga em 2010.

2006
Ex-Flamengo e São Paulo, Róger era promissor, mas também deixou logo a Vila Belmiro, para o Botafogo. No mesmo ano, Fábio Costa voltou do Corinthians e se firmou.

2005
Tido como o terceiro melhor goleiro do mundo na época, o colombiano Henao não teve o mesmo êxito do Once Caldas e voltou ao seu país.

2004
Neste ano, o Peixe apostava no chileno Tapia e em Mauro. O primeiro, contestado, foi embora depois de 18 jogos. O segundo, vindo do Marília, também não teve vida longa.