icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/03/2014
20:38

O técnico do Milan, Seedorf, reagiu em sua coletiva de imprensa aos rumores que dão conta de que sua passagem pelo comando da equipe pode estar perto do fim. Segundo o holandês, a presença de Adriano Galliani com a delegação nos próximos dois jogos não representa um sinal de demissão iminente.

- Há algum tempo que havia pedido a Galliani para estar com a delegação neste jogo em Roma, para dar mais tranquilidade aos jogadores e dar força para a partida seguinte, contra a Fiorentina, que será muito difícil. Há dois dias que eu e Galliani organizamos este encontro, que foi bastante construtivo - disse Seedorf.

O treinador do Milan assegurou que, em momento algum, recebeu ultimatos da parte de Galliani ou do presidente Silvio Berlusconi.

- O presidente e Galliani não me telefonaram para dizer que faltam duas partidas para me dar um veredicto. Antes da minha contratação foi dito que eu deveria preparar o futuro. Até o momento em que o clube decidir o contrário, o conceito continuará sendo aquele - afirmou.

Nesta sexta-feira, o diário "La Gazzetta dello Sport" havia publicado que o futuro de Seedorf à frente do Milan dependeria dos próximos dois jogos, contra Lazio e Fiorentina. O trabalho do ex-jogador do Botafogo à frente do Rossonero passou a ser fortemente criticado após a sequência de quatro derrotas nos últimos jogos.