icons.title signature.placeholder Marcelo Damato
06/12/2013
11:40

O secretário especial da Copa na Bahia, Ney Campello, disse que uma das razões da escolha do resort Costa do Sauípe foi a possibilidade da criação de um "clima de vila olímpica". Campello fez a declaração durante a visita do governador da Bahia, Jacques Wagner.

- Aqui é como numa Vila Olímpca. Não há separação. Aqui andam todos no mesmo ônibus: dirigentes, jornalistas e atletas", disse Campello que não foi visto nos dias anteriores no resort.

A declaração contratasta com a realidade. Nôs ônibus circulares, apenas voluntários, jornalistas e empregados de grau médio e baixo das organizações presentes no Sauípe. Nem mesmo celebridades, jogadores e treinadores andam nesses ônibus. Eles, aliás, evitam contato com os voluntários e principalmente jornalistas na maior parte do tempo.

Quando se sobe na hierarquia da Fifa, o distanciamento é ainda maior. O presidente Joseph Blatter, o secretário-geral Jêrôme Valcke e os 21 membros do comitê executivo da Fifa, por exemplo, só se deslocam em carros com motoristas. Isso não acontece, por exemplo, em Zurique. Na sede da Fifa, Valcke circula sem guarda-costas - aqui tem no mínimo cinco a acompanhá-lo - e até dirige o próprio carro.