icons.title signature.placeholder Guilherme Palenzuela
icons.title signature.placeholder Guilherme Palenzuela
04/07/2013
15:40

Paulo Miranda não jogará mais pelo São Paulo. Nesta quinta-feira, o clube acertou a venda do atleta ao Olympique de Marseille, da França, por 4,5 milhões de euros (R$ 13,2 milhões). O São Paulo, que detém apenas 20% dos direitos econômicos do atleta, receberá R$ 2,6 milhões.

Chegaram à diretoria do São Paulo na última semana duas propostas por Paulo Miranda. Ambas com o mesmo valor, de 4,5 milhões de euros. A oferta do clube francês, no entanto, foi a que mais agradou ao atleta. A diretoria do São Paulo diz que não tinha interesse em vender o defensor, por conta da pequena parcela que detém dos direitos econômicos, mas não teve como segurá-lo. Os 80% restantes de seus direitos econômicos pertencem à Unique, empresa que gerencia a carreira do zagueiro.

Contratado no início de 2012, Paulo Miranda chegou a ser afastado por deficiência técnica, ainda sob o comando de Emerson Leão. Com Ney Franco, virou solução improvisado na lateral direita, e foi um dos melhores jogadores do segundo semestre, que terminou com a conquista da Copa Sul-Americana. Em 2013, disputou a titularidade ainda na lateral com Douglas, mas ultimamente vinha sendo utilizado em sua posição de origem.

O jogador ainda precisa de cerca de mais três semanas para se recuperar da cirurgia na mão esquerda, que sofreu fratura em treino na semana passada. Nas próximas semanas, Paulo Miranda se apresentará ao Olympique de Marseille, na França, com o qual assinará por quatro temporadas.

Paulo Miranda não jogará mais pelo São Paulo. Nesta quinta-feira, o clube acertou a venda do atleta ao Olympique de Marseille, da França, por 4,5 milhões de euros (R$ 13,2 milhões). O São Paulo, que detém apenas 20% dos direitos econômicos do atleta, receberá R$ 2,6 milhões.

Chegaram à diretoria do São Paulo na última semana duas propostas por Paulo Miranda. Ambas com o mesmo valor, de 4,5 milhões de euros. A oferta do clube francês, no entanto, foi a que mais agradou ao atleta. A diretoria do São Paulo diz que não tinha interesse em vender o defensor, por conta da pequena parcela que detém dos direitos econômicos, mas não teve como segurá-lo. Os 80% restantes de seus direitos econômicos pertencem à Unique, empresa que gerencia a carreira do zagueiro.

Contratado no início de 2012, Paulo Miranda chegou a ser afastado por deficiência técnica, ainda sob o comando de Emerson Leão. Com Ney Franco, virou solução improvisado na lateral direita, e foi um dos melhores jogadores do segundo semestre, que terminou com a conquista da Copa Sul-Americana. Em 2013, disputou a titularidade ainda na lateral com Douglas, mas ultimamente vinha sendo utilizado em sua posição de origem.

O jogador ainda precisa de cerca de mais três semanas para se recuperar da cirurgia na mão esquerda, que sofreu fratura em treino na semana passada. Nas próximas semanas, Paulo Miranda se apresentará ao Olympique de Marseille, na França, com o qual assinará por quatro temporadas.