icons.title signature.placeholder Marcio Porto
16/11/2014
21:25

 Goleiro é sofredor por natureza. Mas o fardo de Fernando Prass, hoje, é mais pesado do que o de Rogério Ceni. A visão que ambos têm de seus times explicam a vitória do São Paulo no clássico. contra o Palmeiras, neste domingo, no Morumbi, por 2 a 0, com gols de Luis Fabiano e Rafael Toloi.

A começar pelo centroavante, de quem se espera sempre que seja a arma mais letal do time. São de fato. Mas existe uma diferença colossal entre Luis Fabiano e Henrique, artilheiros dos rivais no ano, com agora 20, e 17 gols, respectivamente. O 9 do Tricolor decidiu o jogo, que mantém o time vivo na briga pelo título do Campeonato Brasileiro, quatro pontos a menos do que o Cruzeiro e um jogo a mais. O Tricolor mantém o tabu de não perder para o rival em sua casa há 21 jogos, desde 2002. É muita coisa...

Além do gol em ótimo cruzamento de Hudson, replay do que foi feito contra o Internacional, o Fabuloso mostrou a Prass o que é sofrer, se movimentando, dando trabalho. E fez o goleiro passar vergonha ao reclamar com o árbitro por não ter aplicado cartão ao atacante após Luis de tirar a camisa na comemoração. Foi advertido. Desnecessário...

O fardo de Rogério Ceni é menor porque há muita qualidade técnica no São Paulo, enquanto falta ao Pàlmeiras. Não foi um Choque-Rei de domínio territorial ou ampla posse de bola, mas da disparidade técnica. Enquanto Ganso, Kaká, Alan Kardec, Luis Fabiano e Michel Bastos tabelavam com beleza, Wesley, Felipe Menezes, Diogo e Henrique transformavam a armação de jogadas num parto. Haja paciência da incansável torcida palmeirense presente no estádio...

Na única chance em que Ceni precisou intervir, ele mostrou porque já há nova corrente contrária à aposentadoria. Com a ponta do pé direito, interceptou o tapa de Henrique, evitando o empate.

O fardo de Prass é maior porque seu time se defende mal. São 51 gols sofridos no campeonato. Ironicamente, o último em dobradinha da defesa do rival. Da cabeça de Edson Silva para o pe direito de Toloi, o gol brindou a volta da melhor dupla de zaga do São Paulo. Eficientes.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 x 0 PALMEIRAS

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 16/11/2014 – 19h30
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Herman Brumel Vani (Ambos de SP)
Público/Renda: 36.850 pagantes/R$ 992.285,00
Cartões Amarelos: Edson Silva, Souza e Allan Kardec (SÃO); Fernando Prass (PAL) e Cristaldo (PAL)

GOLS: Luis Fabiano (21'/1ºT), Rafael Toloi (33'/2ºT)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Hudson, Rafael Toloi, Edson Silva e Michel Bastos; Denilson, Souza, Ganso e Kaká (Osvaldo 36/º2T); Alan Kardec (Reinaldo 19’/2ºT)  e Luis Fabiano (Alexandre Pato 31’/2º T). Técnico: Muricy Ramalho.

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Nathan, Tobio e Juninho; Marcelo Oliveira, Victor Luis, Wesley (Mazinho 7’/2ºT) e Felipe Menezes (Cristaldo 25’/2º T); Diogo (Allione 33'/2ºT) e Henrique. Técnico: Dorival Júnior.