icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
03/03/2014
08:03

Depois de torcer, timidamente, por Santos e Palmeiras diante de seus concorrentes no Grupo B, o Corinthians agora necessita da ajuda do São Paulo para chegar às quartas de final do Campeonato Paulista.

Sob atentos olhares alvinegros, castigados pelo início de temporada ruim, o Tricolor encara o Osasco Audax, que tem os mesmos 17 pontos dos corintianos, na quarta-feira. A tranquilidade são-paulina no Grupo A faz surgir entre os torcedores do Timão o medo que o rival possa atrapalhar os planos de classificação da equipe comandada por Mano Menezes.

Já a 13ª rodada, esta reservada para o Majestoso. O clássico, que desde 2012 não termina com vitória do São Paulo, é visto com bons olhos pelos tricolores para levantar de vez o moral do elenco e seguir complicando o Corinthians, que se apoia no retrospecto favorável de 2013 para não ficar ainda mais dependente do co-irmão.

Dependência que permanecerá nas duas rodadas finais. O vice-líder Ituano e o primeiro colocado Botafogo fazem ótimas campanhas e, mesmo sem corpo mole tricolor, podem vencer e deixar o Timão fora.

A solução para a torcida corintiana, então, é voltar dez anos na história e relembrar o profissionalismo de Grafite. O atacante fez dois gols e o São Paulo rebaixou o Juventus em 2004. Combinação que salvou o Corinthians, até então lanterna do grupo, derrotado pela Portuguesa Santista em pleno Pacaembu: 1 a 0.

Por outro lado, os santistas podem lembrar aos rivais alvinegros que em 2003 foi ‘enganado’ pelo São Paulo. Bastava ao Tricolor vencer o Santo André para o Santos chegar, também, às quartas de final. O empate morno no Morumbi, entretanto, eliminou o Peixe e evitou um confronto com o Palmeiras, como era previsto nos planos do então lateral-esquerdo Gustavo Nery. Lembrança preocupante para o Timão.

CAMINHO ALVINEGRO

Linense
Alterna boas e más atuações em 2014. O jovem técnico Bruno Quadros deu lugar ao experiente Roberto Fonseca, que tenta as últimas cartadas para tirar a diferença de oito pontos para a zona de classificação da chave.

São Paulo
Timão tem levado vantagem no clássico Majestoso nos últimos anos e pode se apoiar no histórico para transferir a responsabilidade de vitória para o rival. É a chance de evitar que o rival seja o primeiro do Grupo A.

Penapolense
Uma das sensações do interior, vem de duas derrotas consecutivas e está ameaçado pela ascensão do São Paulo. O meia Guaru, Alexandro Créu e o estádio Tenente Carriço são as armas dos capeanos.

Atlético Sorocaba
Briga contra o rebaixamento e pode chegar dependendo da vitória para se salvar. Ano passado, escapou da queda justamente na última rodada e deve usar a história como exemplo.

CAMINHO TRICOLOR

Osasco Audax
Time chama a atenção pela forma como trabalha a bola e dificultou a vida de Santos e Palmeiras com dois empates. Pode atrapalhar a arrancada são-paulina pela liderança do Grupo A.

Corinthians
Já são 12 jogos de jejum em clássicos e a pressão da torcida pelo retrospecto está cada vez maior. Último triunfo aconteceu em dezembro de 2012, exatamente contra o Corinthians: 1 a 2 no Pacaembu.

Ituano
Concorrente mais direto do Corinthians pela vaga nas quartas de final, o Ituano também vendeu caro as derrotas para Santos e Palmeiras. O bom time de Doriva pode surpreender no Morumbi.

Botafogo
Equipe mais estruturada do interior. O Bota foi goleado pelo Santos, mas bateu o Palmeiras com grande atuação. Pode chegar precisando da vitória para carimbar a vaga e a primeira colocação da chave.

EMPATE SUSPEITO E GRAFITE SALVADOR

Paulistão-03
Na última rodada do Grupo 2, uma vitória do São Paulo sobre o Santo André daria a classificação ao Santos para as quartas de final. Depois de abrir 2 a 0 com Luis Fabiano, de bicicleta, e Gustavo Nery, o Tricolor permitiu o empate do Ramalhão, “eliminou” o Santos e fugiu de enfrentar o Palmeiras.

Paulistão-04
O Corinthians brigava desesperado contra o rebaixamento no Grupo 1 e acabou derrotado por 1 a 0 pela Portuguesa Santista no Pacaembu. Por sorte, o São Paulo bateu o Juventus por 2 a 1 e salvou o rival. Grafite, autor dos dois gols, chegou a ser xingado pela torcida tricolor por ajudar o Timão.