icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
27/11/2013
10:51

São Paulo voltará à rota dos eventos aquáticos a partir de 2014. A Secretaria de Esportes da cidade vai reinaugurar ainda neste ano o Conjunto Aquático Caio Pompeu de Toledo – localizado no complexo onde está o ginásio do Ibirapuera.

O custo total da reforma do parque aquático ficou em R$ 37 milhões – cerca de R$ 10 milhões a mais do que foi gasto em 2011 com a obra que revitalizou todo o Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, na Zona Sul paulistana.

Na ocasião, todo o complexo foi reinaugurado no mês de maio. A previsão das autoridades era de ter o parque aquático pronto em outubro (veja mais abaixo). Fato que ocorreu apenas dois anos mais tarde.

A justificativa dada pela Secretaria de Esportes de São Paulo, por meio de nota enviada ao L!Net, é a de que a obtenção de licenças ambientais para a retirada de raízes de árvores abaixo da piscina fizeram com que a obra, que teve início apenas no segundo semestre de 2011, fosse postergada.

Concluído, o local de competições figurará no cenário nacional a partir de 2014. A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) estuda a possibilidade de levar o Troféu Maria Lenk para o local.

A proposta já conta com o apoio das federações, mas precisa ser ratifica na assembléia geral da entidade, que ocorrerá no mês de fevereiro.

A utilização da piscina se faz ainda mais relevante por conta das reformas nos principais locais de competição do país. Em 2014, os parques aquáticos Júlio de Lamare e Maria Lenk, ambos no Rio de Janeiro, serão fechados para reformas.

O Júlio de Lamare será modernizado com as obras. E o Maria Lenk só será reaberto em 2015 por conta de adequações com vistas à Olimpíada de 2016.

– Nosso cenário esportivo está em ebulição. Teremos os Jogos Olímpicos e sedes terão de ser remodeladas para a Olimpíada. É importante novos parques aquáticos à disposição – disse Ricardo de Moura, coordenador técnico de natação da CBDA.

Intervenções no Ibirapuera

Pista de atletismo
O Estádio Ícaro de Castro Melo foi um dos principais beneficiados com a reforma de 2011. O local ganhou uma pista nova, que atende às exigências da Iaaf, e tem recebido as maiores competições de atletismo do país.

Ginásio do Ibirapuera
A principal estrutura do complexo ganhou isolamento acústico e reformou o seu teto – que havia apresentado problemas anteriormente.

Demais estruturas
As outras arenas do complexo também foram revitalizadas. Ao todo, a obra custou R$ 26,7 mi e foi inaugurada em maio de 2011. O parque aquático seria entregue em outubro do mesmo ano.

Bate-Bola com Ricardo de Moura, coordenador técnico de natação da CBDA, em entrevista ao L!Net

O que representa para o esporte aquático ganhar uma nova opção de local de competição, agora em São Paulo?
É sempre importante ter a maior quantidade de parques aquáticos disponíveis. A inauguração traz consigo excelentes respostas para uma de nossas questões para os próximos anos.

Como está o trâmite para que o local receba o Troféu Maria Lenk, no ano que vem?
Isso tudo será decidido na assembléia da CBDA. Lá, recebemos a proposta das federações, e existe realmente a possibilidade de o local receber o Troféu Maria Lenk. Está praticamente acertado, mas quem dará a palavra final será o presidente da CBDA.

Parques em reforma

Parque Júlio de Lamare

Inicialmente, o local seria demolido para a construção de estacionamentos no Complexo Maracanã, com vistas à Copa do Mundo de 2014. No entanto, após muitos protestos, o De Lamare foi reaberto pelo governo estadual do Rio. No início do próximo ano, o complexo aquático será fechado e passará por uma obra orçada em R$ 1 milhão. De quebra, o De Lamare ainda “ganhou” o direito de sediar algumas partidas preliminares de polo aquático da Olimpíada do Rio de Janeiro.


Parque Aquático Maria Lenk
Construído para ser a principal sede dos esportes aquáticos dos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio, o local será fechado para reforma no primeiro semestre do ano que vem. Como será a área de competição do nado sincronizado e dos saltos ornamentais na Olimpíada de 2016, o conjunto precisa passar por uma série de adequações e só será reaberto no meio de 2015.