icons.title signature.placeholder Marcio Porto
02/06/2014
19:16

Não foi à toa que Muricy Ramalho, em suas duas últimas entrevistas, se esquivou sobre Diego Lugano, após pedir a contratação do uruguaio. Em conversa com a diretoria, o técnico foi informado de que a chegada do zagueiro é praticamente impossível agora.

As razões são duas. A primeira: Lugano não quer voltar e disse isso em conversa com os dirigentes do São Paulo. O uruguaio teme que outra passagem possa arranhar sua imagem de ídolo do clube.

A outra já foi externada pelo vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro: Lugano não se encaixa no perfil que a diretoria pretende moldar no clube daqui para a frente. Na visão de quem comanda o futebol, o momento é de priorizar os jovens ou jogadores com potencial de revenda no futuro. Não é o caso.

O próprio presidente Carlos Miguel Aidar, que vem externando seu desejo de repatriar o ídolo, também sabe que o negócio dificilmente evoluirá. Internamente, suas declarações pró-Lugano foram entendidas mais como resposta aos apelos de Muricy e da torcida.

Nas últimas partidas no Morumbi, alguns são-paulinos exigiram o retorno de Lugano. No entanto, terão de se conformar com outro nome, talvez de menos pompa.