icons.title signature.placeholder Russel Dias
20/06/2014
13:12

O terceiro dia do Santos em José dos Campos (SP) foi intenso. Com o frio de 16º, os jogadores começaram com uma atividade física, mas logo o técnico Oswaldo de Oliveira comandou um trabalho tático. Antes da bola rolar, o treinador reuniu todos os atletas para uma conversa e o assunto era bem específico: a marcação. 

O pedido do chefe era para a pressão no adversário começar na frente, pelos atacantes, de uma forma muito parecida como acontecia no Campeonato Paulista, quando o Peixe vencia por elásticos placares.

No trabalho com bola, os jogadores se dividiram em três grupos, por setor. Os defensores foram: Aranha, Cicinho, David Braz, Jubal e Zé Carlos. No meio, Arouca, Renato, Alison e Alan Santos faziam a transição, e os atacantes Gabriel, Jorge Eduardo e Diogo Cardoso, junto do meia Lucas Lima, eram responsáveis pelos arremates. O restante do grupo fez uma atividade priorizando a parte física e, no final, fizeram o mesmo do que os atletas da primeira leva, se dividindo.

O atacante Rildo, que se recuperou recentemente de uma entorse no tornozelo direito, deixou o treinamento mais cedo sentindo dores na coxa esquerda. Trata-se de uma mialgia (dores na região do púbis), que o poupará de alguns treinos mais pesados.

O time do Santos volta a treinar na manhã de sábado, no estádio municipal Martins Pereira, em São José dos Campos. Na parte da tarde, eles retornam para a Baixada Santista. A volta ao Vale do Paraíba será definida na segunda-feira, após o jogo do México. No caso da eliminação dos norte-americanos, a delegação santista voltaria a treinar no CT Rei Pelé, onde a delegação da seleção está.