icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/07/2013
17:56

Neste domingo, o Santos deu um presente de grego para o técnico que assumir o São Paulo. No Morumbi, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, o Peixe venceu o Tricolor por 2 a 0, com gols de Giva - em seu primeiro toque na bola - e Cícero - ex-jogador do Tricolor -, e somou pontos importantes para sair da zona de rebaixamento do torneio.

O resultado aumentou a crise do São Paulo. Ney Franco foi demitido na última semana, após derrota para o Corinthians, e o clube busca um novo técnico. Milton Cruz comandou a equipe interinamente diante do Santos. O novo treinador que chegar vai assumir a equipe em momento complicado.

Durval combate Luis Fabiano no clássico (Foto: Ivan Storti/LANCE!Press)

PRIMEIRO TEMPO MORNO

Durante a semana, Milton Cruz disse que pensava em mudanças no time titular do São Paulo. Claudinei Oliveira, por sua vez, afirmou que já via o Santos "com sua cara" e apostava em um posicionamento mais avançado do argentino Montillo.

No começo, a promessa do santista fez mais efeito. Enquanto o São Paulo só tinha alterações por lesão em relação à última partida de Ney Franco antes de sua demissão – Rhodolfo no lugar de Rafael Toloi e Wellington no lugar de Douglas, com Rodrigo Caio deslocado para a lateral – o Santos levou perigo em uma bola com Leandrinho, escalado justamente para dar mais liberdade a Montillo. Mas o meia errou na hora de tentar encobrir Rogério Ceni.

No entanto, Milton Cruz alterou o posicionamento de suas peças no ataque. Osvaldo caiu mais pela direita, com Jadson centralizado e Ganso pela esquerda. No primeiro tempo, os três tiveram como prioridade servir Luis Fabiano, que recebeu alguns bons passes, mas, quando não estava impedido, o centroavante não conseguiu vencer o goleiro Aranha.

A melhor oportunidade do Fabuloso foi aos 37 minutos, quando o camisa 9 recebeu bola de Jadson e ficou cara a cara com Aranha. O atacante, no entanto, chutou em cima do goleiro, que rebateu para escanteio.

Nos acréscimos, Lúcio ainda balançou as redes após receber passe de Rogério Ceni em cobrança de falta, mas o zagueiro estava impedido e o lance não valeu. O 0 não saiu do placar na etapa inicial.

ETAPA FINAL MOVIMENTADA

Aos oito minutos do segundo tempo, o São Paulo conseguiu, enfim, levantar a torcida. Lúcio deu dois chapéus seguidos na intermediária e, após tabela, conseguiu encontrar Jadson, que invadiu a área, cortou o marcador e tentou o chute colocado de perna esquerda. A bola, no entanto, saiu à direita do gol de Aranha.

No entanto, foi o Santos que abriu o placar. Claudinei Oliveira tirou Willian José e promoveu a entrada de Giva, que mostrou ter estrela. Na primeira vez que tocou na bola, o atacante do Peixe, após antecipar o zagueiro, desviou de cabeça um cruzamento de Montillo, aos 12 minutos, e balançou as redes, colocando sua equipe na frente no placar.

Logo em seguida, Milton Cruz tirou Denilson e Ganso e colocou Maicon e Aloísio. A torcida do São Paulo não gostou e vaiou a saída do camisa 8. A manifestação dos presentes foi semelhante contra Juan, que foi trocado por Ademilson aos 36.

A partir daí, mesmo com uma equipe mais ofensiva, o São Paulo manteve a bola, mas não conseguiu criar ataques perigosos. O Santos apostou nos contra-golpes e chegou ao segundo gol com Cícero, ex-jogador do Tricolor. Emerson Palmieri, que também entrou na segunda etapa, acertou belo cruzamento para o volante, que, de cabeça, definiu a partida.

PRÓXIMOS JOGOS

Na quarta-feira, o São Paulo recebe o Bahia em jogo adiantado por conta da participação do clube paulista na Copa Suruga. Pela sétima rodada do Brasileirão, o Tricolor visita o Vitória, no Barradão, no próximo domingo. Um dia antes, o Santos recebe a Portuguesa na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 2 SANTOS

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 7/6/2013 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP) e Celso Barbosa de Oliveira (SP)

RENDA/PÚBLICO: R$ 345.930,00/11.819 pagantes
CARTÕES AMARELOS: Denilson, Wellington (SAO) Arouca (SAN)
CARTÕES VERMELHOS: -
GOLS: Giva, 12'/2°T (0-1); Cícero, 36'/2ºT (0-2)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rodrigo Caio, Lúcio, Rhodolfo e Juan (Ademilson - 36'/2ºT); Wellington, Denilson (Maicon - 14'/2ºT), Ganso (Aloísio - 14'/2ºT) e Jadson; Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico: Milton Cruz

SANTOS: Aranha; Galhardo, Gustavo Henrique, Durval e Léo (Emerson - 33'/2ºT); Arouca, Cícero, Leandrinho e Montillo; Neilton (Pedro Castro - 31'/2ºT) e Willian José (Giva - 12'/2ºT). Técnico: Claudinei Oliveira

Neste domingo, o Santos deu um presente de grego para o técnico que assumir o São Paulo. No Morumbi, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, o Peixe venceu o Tricolor por 2 a 0, com gols de Giva - em seu primeiro toque na bola - e Cícero - ex-jogador do Tricolor -, e somou pontos importantes para sair da zona de rebaixamento do torneio.

O resultado aumentou a crise do São Paulo. Ney Franco foi demitido na última semana, após derrota para o Corinthians, e o clube busca um novo técnico. Milton Cruz comandou a equipe interinamente diante do Santos. O novo treinador que chegar vai assumir a equipe em momento complicado.

Durval combate Luis Fabiano no clássico (Foto: Ivan Storti/LANCE!Press)

PRIMEIRO TEMPO MORNO

Durante a semana, Milton Cruz disse que pensava em mudanças no time titular do São Paulo. Claudinei Oliveira, por sua vez, afirmou que já via o Santos "com sua cara" e apostava em um posicionamento mais avançado do argentino Montillo.

No começo, a promessa do santista fez mais efeito. Enquanto o São Paulo só tinha alterações por lesão em relação à última partida de Ney Franco antes de sua demissão – Rhodolfo no lugar de Rafael Toloi e Wellington no lugar de Douglas, com Rodrigo Caio deslocado para a lateral – o Santos levou perigo em uma bola com Leandrinho, escalado justamente para dar mais liberdade a Montillo. Mas o meia errou na hora de tentar encobrir Rogério Ceni.

No entanto, Milton Cruz alterou o posicionamento de suas peças no ataque. Osvaldo caiu mais pela direita, com Jadson centralizado e Ganso pela esquerda. No primeiro tempo, os três tiveram como prioridade servir Luis Fabiano, que recebeu alguns bons passes, mas, quando não estava impedido, o centroavante não conseguiu vencer o goleiro Aranha.

A melhor oportunidade do Fabuloso foi aos 37 minutos, quando o camisa 9 recebeu bola de Jadson e ficou cara a cara com Aranha. O atacante, no entanto, chutou em cima do goleiro, que rebateu para escanteio.

Nos acréscimos, Lúcio ainda balançou as redes após receber passe de Rogério Ceni em cobrança de falta, mas o zagueiro estava impedido e o lance não valeu. O 0 não saiu do placar na etapa inicial.

ETAPA FINAL MOVIMENTADA

Aos oito minutos do segundo tempo, o São Paulo conseguiu, enfim, levantar a torcida. Lúcio deu dois chapéus seguidos na intermediária e, após tabela, conseguiu encontrar Jadson, que invadiu a área, cortou o marcador e tentou o chute colocado de perna esquerda. A bola, no entanto, saiu à direita do gol de Aranha.

No entanto, foi o Santos que abriu o placar. Claudinei Oliveira tirou Willian José e promoveu a entrada de Giva, que mostrou ter estrela. Na primeira vez que tocou na bola, o atacante do Peixe, após antecipar o zagueiro, desviou de cabeça um cruzamento de Montillo, aos 12 minutos, e balançou as redes, colocando sua equipe na frente no placar.

Logo em seguida, Milton Cruz tirou Denilson e Ganso e colocou Maicon e Aloísio. A torcida do São Paulo não gostou e vaiou a saída do camisa 8. A manifestação dos presentes foi semelhante contra Juan, que foi trocado por Ademilson aos 36.

A partir daí, mesmo com uma equipe mais ofensiva, o São Paulo manteve a bola, mas não conseguiu criar ataques perigosos. O Santos apostou nos contra-golpes e chegou ao segundo gol com Cícero, ex-jogador do Tricolor. Emerson Palmieri, que também entrou na segunda etapa, acertou belo cruzamento para o volante, que, de cabeça, definiu a partida.

PRÓXIMOS JOGOS

Na quarta-feira, o São Paulo recebe o Bahia em jogo adiantado por conta da participação do clube paulista na Copa Suruga. Pela sétima rodada do Brasileirão, o Tricolor visita o Vitória, no Barradão, no próximo domingo. Um dia antes, o Santos recebe a Portuguesa na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 2 SANTOS

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 7/6/2013 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP) e Celso Barbosa de Oliveira (SP)

RENDA/PÚBLICO: R$ 345.930,00/11.819 pagantes
CARTÕES AMARELOS: Denilson, Wellington (SAO) Arouca (SAN)
CARTÕES VERMELHOS: -
GOLS: Giva, 12'/2°T (0-1); Cícero, 36'/2ºT (0-2)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rodrigo Caio, Lúcio, Rhodolfo e Juan (Ademilson - 36'/2ºT); Wellington, Denilson (Maicon - 14'/2ºT), Ganso (Aloísio - 14'/2ºT) e Jadson; Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico: Milton Cruz

SANTOS: Aranha; Galhardo, Gustavo Henrique, Durval e Léo (Emerson - 33'/2ºT); Arouca, Cícero, Leandrinho e Montillo; Neilton (Pedro Castro - 31'/2ºT) e Willian José (Giva - 12'/2ºT). Técnico: Claudinei Oliveira