icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
13/04/2014
06:02

O título paulista nesta tarde pode deixar marcada na história mais uma geração de Meninos da Vila. Porém, diferentemente do que muitos pensam, o atual Santos não é jovem, nem inexperiente. Contra o Ituano, na finalíssima do Estadual, às 16h deste domingo, no Pacaembu, o Peixe irá a campo com apenas dois atletas formados na base do clube e uma escalação cuja idade média é de 26 anos, a mesma do time adversário.

Contudo, não é exagero dizer que este Peixe é maduro, mas tem fôlego de menino. Assim como é com Arouca. Aos 27 anos, o volante deixou para trás a fase irregular vivida em 2013, superou episódio de racismo no início do Paulistão e deu a volta por cima com grandes atuações e até gols (fez dois neste ano), algo incomum em sua carreira. Neste domingo, ele é uma das esperanças alvinegras para reverter a vantagem da equipe do interior e dar o 21º título estadual ao clube da Vila Belmiro, que seria o quarto do volante pelo Santos (venceu em 2010, 2011 e 2012).

– A principal lição que as outras finais de Paulista que disputei no Santos podem dar é que precisamos fazer o nosso máximo. Do outro lado, estará um adversário que busca o título como nós e que vai fazer de tudo para sair do Pacaembu com a taça. É preciso ter muito respeito ao adversário. Ao mesmo tempo, nosso ímpeto e a nossa vontade de vencer precisam ser maiores do que a deles – afirmou o camisa 5, ao LANCE!.

Embora tenha retomado o bom futebol ao voltar a jogar como primeiro volante, como foi em 2010, Arouca atuará mais avançado na finalíssima, já que o técnico Oswaldo de Oliveira optou por Alison no lugar de Gabriel, com Cícero avançado, como meia.

– Já desempenhei as duas funções aqui no Santos, não tenho problema nem preferência com nenhuma delas – disse.

Único remanescente das conquistas da “era Neymar” entre os titulares da equipe, o volante pode levantar sua sétima taça pelo Peixe, a quarta obtida no Pacaembu.

Ciente de sua importância e respeito perante os mais jovens, Arouca diz assumir com naturalidade o papel de orientador. Para este domingo, os conselhos serão voltados principalmente a Alison e Geuvânio, únicos garotos que começarão jogando.

– É importante conversar com eles, passar um pouquinho da bagagem que acumulei. Falo bastante com todos eles, aqui temos uma amizade muito forte e o que mais falo é para que evitem se afobar. Especialmente nesses jogos decisivos, é normal que isso aconteça em algum momento e, por isso, é preciso passar tranquilidade para todos eles e orientar no que for possível.

Motorzinho do time, paizão dos mais novos e um dos líderes dos “velhinhos” da Vila: Arouca avisa:

– Acredito na virada!

Bate-Bola com Arouca, volante do Santos, em entrevista ao LANCE!Net:

Como único remanescente do tri paulista do Santos, em 2010, 2011 e 2012, chega para essa final com uma responsabilidade maior? Ou, ao contrário, isso tira a pressão?
A responsabilidade é sempre grande quando você veste uma camisa com a história que tem a do Santos. Nós somos cobrados por títulos e por conquistas o tempo todo, essa é a tradição do clube. Por isso, acredito que o peso é o mesmo desde quando cheguei.

Esperava tantas dificuldades como as enfrentadas semana passada?
Quando se chega a uma decisão do estadual mais disputado do Brasil, não podemos entrar pensando que será fácil. Foi assim nas duas vezes contra o Corinthians, contra o Santo André e contra o Guarani. Sabíamos que a história se repetiria com o Ituano, que veio para jogar fechadinho, explorando os espaços que deixássemos para contra-ataques. Eles têm um time de muita qualidade, principalmente na organização tática.

Qual a importância do Oswaldo na campanha do Santos em 2014?
Ele é um dos grandes técnicos do Brasil, transmite uma confiança muito grande e tem esse estilo “paizão”. A importância dele é evidente, montou um esquema muito sólido para o time, todo jogador sabe exatamente o que deve fazer para que, na prática, dê o resultado que ele espera. Tem sido fundamental.

Como vê seu futuro no Santos?
Estou muito feliz aqui no Santos, renovei recentemente e não é uma ambição para mim ir à Europa.