icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
02/04/2014
06:01

A boa fase do Santos e as diversas goleadas da equipe neste ano têm feito o torcedor alvinegro voltar no tempo e relembrar grandes esquadrões da história. Nesta noite, os saudosistas terão mais um motivo para voltar ao passado. Acostumado a inaugurar estádios pelo Brasil e pelo mundo, sobretudo nos tempos de Pelé e companhia, o Peixe volta a estrear um palco nesta quarta-feira, às 22h, contra o Mixto-MT, no primeiro jogo do clube na Copa do Brasil deste ano.

Quis o destino, ou os "deuses do futebol", como alguns gostam de chamar, que o Alvinegro fosse o mestre de cerimônias da Arena Pantanal, onde serão disputados quatro jogos da Copa do Mundo. Porém, quis o técnico Oswaldo de Oliveira que a festa fosse com time quase todo reserva, para poupar os principais jogadores para a partida de ida decisão do Campeonato Paulista, domingo, contra o Ituano.

Este será o 21º estádio inaugurado pelo Santos na história. Na verdade, poderia ser o 22, mas a partida contra o Catanduvense, no Estádio Alfredo Luís, em 1988, em Catanduva, não é considerada oficial.

Em sua centenária história, o Peixe já estreou cinco palcos fora do Brasil, em três diferentes continentes (dois no México e um nos Estados Unidos, na Coréia do Sul e no Paraguai). No território nacional, debutou palcos em sete estados diferentes, além de um no Distrito Federal.

Para manter a tradição de se dar bem nas inaugurações (só perdeu três vezes), a equipe da Vila Belmiro aposta na garotada, que chega empolgada para mostrar serviço. Ciente disso, o ex-santista Paulo Almeida, capitão do Mixto, afirma:

– Vai ser até pior enfrentar os reservas. Eles vão meter uma correria danada para cima da gente (risos)!

Em Cuiabá, o Peixe encontrará torcedores ansiosos para conhecer a Arena e rever a equipe paulista. Os 20 mil ingressos colocados à venda se esgotaram, e a maioria dos presentes deve ser santista. Apesar do clima festivo, os santistas encaram o duelo com seriedade e buscam uma vitória por dois ou mais gols de diferença para eliminar o jogo de volta e, assim, só pensar no título estadual.