icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
24/11/2014
15:51

O Santos não teve um bom ano em campo e também financeiramente - como já havia sido 2013 -, mas prevê um futuro melhor. O orçamento para a próxima temporada projeta superávit de R$ 712 mil. O resultado está em documento elaborado pelo clube para definir as diretrizes para 2015, enviado para os conselheiros nesta segunda e que será votado na próxima terça, em reunião na Vila Belmiro. Para 2014, a previsão era de déficit de R$ 7,7 milhões, mas nos bastidores comenta-se que o resultado pode ser ainda pior.

Fechar 2015 no azul, porém, só será possível se o clube arrecadar mais do que neste ano com venda de jogadores. Para 2014, o Peixe planejou receber R$ 27 milhões com a negociação de direitos econômicos de atletas - e o fez, com nomes como Montillo e Bruno Peres. Para a próxima temporada, a previsão é que esse receita seja de R$ 47 milhões.

Outra receita importante que está prevista, mas não garantida, é a de patrocínio. O Alvinegro planeja conseguir R$ 33 milhões desta forma, embora até agora só tenha contrato para 2015 com a Corr Plastik, empresa de tubos e conexões que estampa sua marca nos ombros da camisa da equipe.

A principal fonte de recursos do clube continua sendo a televisão. Para o ano que vem, o Peixe espera receber R$ 56 milhões pelo direitos de transmissão de seus jogos, mais de um terço do total de suas receitas.

A previsão orçamentária tem pontos que chamam a atenção, como as variações das receitas de pay-per-view de R$ 300 mil para R$ 3 milhões e de "aluguel e eventos" de R$ 74 mil para R$ 6 milhões. Além disso, os gastos de direitos de imagem caem de R$ 18 milhões para R$ 77 mil. Estes e outros pontos confusos devem explicados pelo Comitê de Gestão e por funcionários do clube na reunião do Conselho Deliberativo desta terça-feira.

No encontro, além do orçamento para 2015, os sócios irão votar um pedido de autorização da diretoria para vender atletas. Isso porque o estatuto santista determina que qualquer venda, compra ou empréstimo de jogador nos três meses que antecedem a eleição presidencial seja aprovada por conselheiros. Os sócios alvinegros irão às urnas em 6 de dezembro. Nos últimos dias o Peixe acertou a venda de 50% do volante Alison ao banco BMG por 1,5 milhão de euros (cerca de R$ 4,8).

O caso dos "sócios fantasmas" também estará na pauta. Uma comissão de inquérito e sindicância investigou a denúncia de carteirinhas falsas e apresentará seu relatório final.

A reunião terá início as 19h45 e deve ter duração de mais de três horas.