icons.title signature.placeholder Murilo Dias
26/07/2014
20:28


Finalmente, uma vaga no G4! Finalmente, um ataque que funcionou! Após quase quatro anos - última presença foi na 31ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010 -, o Santos entra na zona de classificação para a Libertadores, graças à goleada por 3 a 0 sobre a Chapecoense na Vila Belmiro. Rildo, Gabriel e Diego Cardoso marcaram os gols da partida deste sábado que marcou a maior vitória alvinegra nesta edição.

O ataque do Peixe estava na seca de gols desde antes da Copa do Mundo e espantou a crise, com todos os tentos marcados por atacantes e, em dois deles, com assistências de Thiago Ribeiro, que retornou à equipe neste sábado. Mas nem tudo foram flores na vitória santista.

Se o adversário não assustava, o futebol apresentado no campo, sim. Apesar de ter mais poder técnico, o Santos não conseguiu impor seu jogo. No primeiro tempo, saiu com 48,5% de posse de bola, contra 51,5% da Chape, segundo dados do Foostats. No quesito finalizações, nova derrota. Três para o Verdão de Chapecó e duas para o Alvinegro da Vila Belmiro. Porém, no futebol o que importa é bola na rede e nisto o Santos foi melhor.

Aos 12 minutos, após cobrança de escanteio, Mena ganhou pelo alto e a bola ficou viva dentro da área da Chapecoense. Gabriel, aos trancos e barrancos, ajeitou para Rildo, mal no jogo e livre de marcação, mandar para o gol. Um belo lance, em um primeiro tempo sonolento. Desde o lance do gol até o apito final, poucas emoções.

Emoção foi o que a torcida do Santos teve logo no início da segunda etapa. Aos cinco minutos, após boa troca de passes, Dedé apareceu livre na área do Peixe e viu Aranha, que recebeu placa antes da partida por completa cem duelos pelo Peixe, encarnar o super-herói e fazer bela defesa. 

No papel do vilão, o joelho esquerdo de Thiago Ribeiro voltou a incomodar o atleta, que caiu no chão. No papel do herói, o atacante levantou e seguiu no jogo. Seguiu para, lances depois, receber ótimo lançamento de Bruno Uvini e deixar Gabriel em situação ótima para marcar o segundo gol do jogo e seu quarto na competição.

Como todo filme, ou jogo de futebol, tons de drama apareceram. Como todo filme, ou jogo de futebol, alguém chama a responsabilidade e salva o dia. No caso do Santos, o mocinho foi Aranha, com mais duas ótimas defesas, em chutes de Abuda e Camilo. 

Um sinal de luz em um ataque que pouco brilhava, e mais um gol. Novamente, Thiago Ribeiro cruzou e, desta vez, Diego Cardoso mandou para o fundo do gol de Danilo. Como todo filme, mas nem todo jogo de futebol, um final feliz para o Santos. E uma vaga no G4, ao menos até este domingo, já que algumas equipes podem ultrapassar o Peixe na tabela - Corinthians, Fluminense, Atlético-PR, Internacional, Grêmio, Sport e São Paulo.

O Peixe voltará a campo na próxima quinta-feira, quando pega o Londrina pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, no Paraná. Pelo Brasileirão, a equipe atuará apenas no domingo, no Beira-Rio, diante do Internacional, às 18h30. Já a Chapecoense receberá no mesmo dia, às 16h, contra o Flamengo, em casa. 

SANTOS  3 X 0 CHAPECOENSE

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/Hora: 26/7/2014
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Henrique Correa e Eduardo de Souza Couto (RJ)

Público/renda: 6.962/ R$ 129, 685

Cartões amarelos: Rodrigo Biro (Chapecoense); David Braz e Alison (Santos)

Gols: Rildo (Aos 12'/1ºT), Gabriel (6'/2ºT) e Diego Cardoso (30'/2ºT)

SANTOS: Aranha; Cicinho, David Braz, Bruno Uvini e Mena; Alison (Souza, aos 40'/2ºT) , Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Geuvânio, aos 38'/2ºT), Rildo (Diego Cardoso, aos 29'/2ºT) e Gabriel. Técnico: Oswaldo de Oliveira

CHAPECOENSE: Danilo; Fabiano, Rafael Lima, Jaílton e Biro; Wanderson, Ricardo Conceição (Abuda, aos 28'/1ºT), Dedé e Neném; Camilo (Leandro, aos 21'/2ºT) e Bruno Rangel. Técnico: Celso Rodrigues