icons.title signature.placeholder Diogo Sautchuk e Russel Dias
26/06/2014
07:00

Após a Comissão Fiscal do Santos apresentar o balancete referente à receita do clube nos três primeiros meses do ano na última terça-feira, foi revelado que a contratação do atacante Leandro Damião ainda tem uma dívida não quitada, fora dos R$ 42 milhões necessários para comprar os direitos do jogador.

O LANCE!Net apurou que o valor é de cerca de R$ 1 milhão, que deveria ser pago ao empresário Gilmar Veloz.

Em contato com a reportagem, o agente gaúcho confirmou que intermediou o negócio com o Santos para contratar Damião e que ainda não recebeu o dinheiro.

– Eu fiz um trabalho e tenho que receber por ele, mas ainda não recebi – disse ao L!.

O empresário não confirmou o valor, mas pessoas que estiveram no negócio garantem que é R$ 1 milhão, e poderia ser parcelado. Veloz também não esclareceu quanto tempo vai esperar pela quitação da dívida, mas ainda aguarda pelo pagamento do Santos.

– Estou esperando o presidente Odílio (Rodrigues) me ligar, ou o Renato Duprat (executivo do Doyen Sports), mas não sei o que vou fazer se não receber - afirmou.

Com a ajuda do fundo de investimentos, Damião foi a contratação mais cara do futebol brasileiro. Além de o clube ter que usar como garantia financeira as cotas de televisão deste ano, pagará juros de 10% ao ano em cima dos R$ 42 milhões, ao Doyen Sports.

Além desta, o Peixe trouxe também Lucas Lima com a ajuda do mesmo parceiro. No início do ano, o negócio seria de R$ 5 milhões, mas devido ao atraso na compra de 40% dos direitos econômicos do meia pertencentes a uma empresa, o preço subiu ainda mais.

Santos diz que não deve a Veloz por Damião

O Santos contesta a matéria publicada pelo LANCE!Net sobre uma dívida com o empresário Gilmar Veloz. Segundo o clube, a comissão pelo negócio que resultou na contratação de Leandro Damião, não teve participação do agente gaúcho.


A dívida, que foi divulgada na reunião do Conselho Deliberativo da última terça-feira, está sendo paga para o empresário que intermediou o negócio, que não é Gilmar Veloz. Segundo o clube, as parcelas estão sendo pagas, mas o valor ainda não foi totalmente quitado, apesar de estar em dia. O clube não quis divulgar os valores e a quantidade das parcelas que ainda estão abertas.

O empresário Vinícius Prates, que é o representante de Damião, também garante que Veloz não participou do negócio, conduzido exclusivamente por ele. Em contato com o L!, disse que Veloz é um “atravessador” e desconversou sobre se o Santos ainda lhe deve algo.


O L! entrou em contato de novo com Veloz, que reafirma que participou do negócio por Damião. Segundo o empresário, ele vai cobrar os valores que seriam dele. Versão contestada pelo Santos.