icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/07/2014
23:13

O San Lorenzo está a apenas dois jogos de se tornar o último grande time do futebol argentino a conquistar a Libertadores. Nesta quarta-feira, o Ciclón perdeu para o Bolívar fora de casa por 1 a 0 mas, aproveitando a arrasadora goleada por 5 a 0 no jogo de ida, se classificou à sua primeira final do torneio continental, após ter eliminado também três brasileiros: Botafogo (na fase de grupos), Grêmio e Cruzeiro (nas oitavas e nas quartas de final, respectivamente).

Na decisão, o San Lorenzo encontrará o Nacional-PAR e poderá jogar a segunda partida no caldeirão do Nuevo Gasómetro, à frente da sua fanática torcida. Esta final marca também a primeira vez que os dois piores times a se classificarem para as oitavas chegam ao fim do torneio. O time paraguaio foi o 16º classificado, enquanto os argentinos se classificaram em 15º no ranking dos times nas oitavas de final.

Após uma primeira perna brilhante, onde encaminhou a classificação ao fazer 5 a 0 no time boliviano, o San Lorenzo entrou em campo no Hernando Siles com o intuito de fazer o relógio correr e frustrar o Bolívar, apostando na velocidade de Villalba e nos passes de Piatti. E foi bem assim no primeiro tempo. Apesar do déficit físico por conta da altitude, não levou nenhuma grande pressão do time da casa.

Na segunda etapa, o Bolívar já entrou no desespero. O zagueiro Eguino teve duas boas oportunidades de abrir o placar em escanteios, mas no geral o Ciclón seguiu seu plano de jogo: defender bem, não dar espaços e ser perigoso no contra-ataque. A partir dos 20 minutos, o Bolívar começou a atacar no automático e os erros apareceram. Os donos da casa seguiram pressionando e o jogo acabou em um verdadeiro ataque contra defesa. Nos acréscimos, finalmente veio o gol, através do substituto Yecerotte. Ficou bom para os dois lados: o Bolívar caiu de pé, vencendo seu último jogo em uma campanha histórica e o San Lorenzo foi à final