icons.title signature.placeholder Pedro Barboza
05/07/2014
09:56

O jovem zagueiro Samir, de 19 anos, já se firmou na titularidade do Flamengo. E a pressão pela má fase que a equipe vive em campo – ocupa a 19 posição do Campeonato Brasileiro – preocupa o jogador. Em entrevista exclusiva ao LANCE!Net, Samir garantiu que a equipe precisa jogar mais como Flamengo e comentou sobre a base do trabalho dentro e fora de campo.

– Precisamos jogar mais como Flamengo. Chegar nos jogos e os adversário sentirem a pressão. Não podemos vacilar e temos que mostrar porque somos o Flamengo. Nossa torcida nos apoiando em qualquer momento e dentro de campo faz a diferença – afirmou.

E MAIS!
> Ney diz que Canteros será testado em jogo-treino
> Activo: Encontro da FLA-ALEMANHA
> Léo Moura torce para 'volta por cima' de Fred na Seleção

- Mudança de postura
Precisamos começar por uma direção boa, uma coordenação boa. Nosso diretor (Felipe Ximenes) viu que a coisa estava complicada, então decidiu conversar com a gente. Não foi chamada, nós jogadores interpretamos de outra forma. Foi uma conversa mais dura, mais direta e mostrando que se continuássemos daquele jeito iríamos por água abaixo. E dali começamos a ter um novo pensamento. O Flamengo nunca caiu e nunca vai cair, espero. Iremos trabalhar muito para isso.

- “Poupado” pela torcida
Fico feliz pelo carinho da torcida, mas foi com o trabalho que adquiri isso, me dedicando aqui no Flamengo e na rua todos me elogiam. Mas não posso me contentar com isso pois futebol tem altos e baixos. Uma hora posso estar lá em cima e outra lá em baixo e preciso estar muito maduro para saber disso. Assim como o lance da Libertadores tive de ter muita sabedoria para lidar, mas nas ruas a torcida me apoiou e tenho que confiar em mim, pois se isso não ocorrer ninguém vai confiar.

- Paralisação do Brasileiro
Tivemos 15 dias para colocar a cabeça no lugar, refletir e nesse mês que estamos parados para trabalhar, que o Ney chegou em um momento complicado, e agora estamos trabalhando com os projetos dele em pauta para que possamos fazer o melhor em campo. Em relação a que não podemos mais fazer são os erros bobos que estávamos cometendo. Naquele jogo contra o Cruzeiro deu para ver o que foi bom e o que foi ruim, o Ney viu tudo, nós também.

- Tranquilidade
Importância de tudo é a base familiar boa que te passa confiança, tranquilidade e eu tenho isso em casa com meus pais. Sabemos da minha qualidade e se tiver nervoso não vou jogar, ainda mais aqui no Flamengo que é pressão o tempo todo. Você pode acertar dez passes no jogo, mas se errar um já é cobrado. Vou viver assim para o resto da vida, pois se não for inteligente, maduro, nunca vou conseguir jogar no Flamengo.