icons.title signature.placeholder David Nascimento
03/02/2015
14:50

Desde o início da gestão da atual Chapa Azul na diretoria do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista (Bap) foi um dirigente que tinha forte influência nas decisões tomadas pelo Conselho Diretor. Ao longo dos últimos meses, pequenos episódios acabaram desgastando internamente o então vice-presidente de marketing. Na última segunda-feira, o pedido de demissão dele não pegou de surpresa alguns membros da diretoria, levando em consideração o episódio ocorrido com a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) sobre os ingressos e o Maracanã.

Luiz Eduardo Baptista foi extremamente contra ao acordo do Flamengo com a Ferj em relação aos preços dos ingressos para o Campeonato Carioca, principalmente com as partidas a serem disputadas no Maracanã. O agora ex-vice de marketing defendia que o clube precisava seguir a situação de outra forma, comprando a briga com a Federação, até por conta das ofensas sofridas pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello nas últimas semanas. As tratativas, feitas sem o aval dele, foram apenas a gota d'água de todo o caso.

E MAIS!
> Em carta, Luiz Eduardo Baptista comunica saída da diretoria do Flamengo
> Apesar de reserva, Alecgol prega: 'Temos que entender o que o treinador quer'

Ao longo dos últimos meses, Luiz Eduardo Baptista acumula vários atritos internos no Flamengo. Um de seus "inimigos" foi o atual vice-presidente de patrimônio, Wallim Vasconcellos. Bap insistia em interferir no departamento de futebol, que era comandado por Wallim, provocando decisões polêmicas, como a manutenção de preços elevados nos ingressos com mando de campo do Flamengo, visando favorecer o programa de sócio-torcedor - o caso mais significativo foi na final da Copa do Brasil de 2013.

O cenário não mudou com o atual vice-presidente de futebol, Alexandre Wrobel, que defende ingressos com preços menores para aumentar o número de torcedores nos estádios. Wrobel acredita que trabalhando desta forma o Flamengo ganha em dois sentidos: estádio lotado e o time ganhando em campo o 12º jogador e a renda aumenta por um maior número da torcida no estádio. Alguns aliados de Luiz Eduardo Baptista na atual diretoria, como o diretor executivo geral, Fred Luz, também foram contra a este acordo, mas em um primeiro momento não devem deixar a diretoria.

Um retorno de Luiz Eduardo Baptista para a atual diretoria está praticamente descartado. Porém, Bap pode vir a apoiar uma candidatura na eleição presidencial do fim deste ano ao lado do ex-dirigente Flávio Godinho. O pleito do Flamengo estava com cenário quase que selado, mas acabou ganhando novos rumos com esta saída do atual presidente da Sky. O LANCE!Net tentou entrar em contato com Luiz Eduardo Baptista, mas ele não foi encontrado até o fechamento desta reportagem.