icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
20/08/2015
15:12

Na manhã desta quinta-feira, o técnico Cristovão Borges pediu demissão e não é mais técnico do Flamengo. Considerada um dos grandes maus do futebol no Brasil, a troca de treinadores continua intensa nesta temporada. No futebol carioca, em 2015, em apenas oito meses, somando-se os quatro clubes grandes, incluindo o Botafogo, que disputa a Série B, já são dez treinadores. Com o profissional que chegará agora à Gávea, este número aumentará em um.

No Flamengo, o ano começou sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, que assumira o cargo em meados de 2014, com a plataforma de "sair da confusão no Campeonato Brasileiro. Com o time abaixo das expectativas no Campeonato Carioca e no Brasileirão deste ano, foi demitido para a chegada de Cristovão, que agora sai para a vinda de outro técnico, que pode ser Oswaldo de Oliveira, nome preferido de alguns diretores rubro-negros.

No Vasco, o time começou o trabalho de 2015 com Doriva. O trabalho fluiu bem e logo veio a conquista do Campeonato Estadual. No entanto, após cinco derrotas consecutivas no Brasileiro, deixou o clube. Antes, o treinador havia recusado proposta do Grêmio. Doriva foi substituído por Celso Roth, que deixou a equipe na lanterna do campeonato, sendo substituído por Jorginho.

No Fluminense, o primeiro treinador do ano foi Cristovão Borges, remanescente do ano passado. Após fraca campanha no Estadual, foi demitido. Para o seu lugar, foi contratado Ricardo Drubscky. Drubscky não começou bem e logo foi demitido. Enderson Moreira o substituiu.

O Botafogo, rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2014, quando era comandado por Vagner Mancini, o primeiro treinador de 2015 foi René Simões. O técnico fez ótima campanha no0 Estadual, chegando ao vice-campeonato. A caminhada no Brasileiro começou bem. No entanto, após alguns percalços, foi demitido, sendo substituído por Ricardo Gomes.

EM SÃO PAULO

Em menor escala, em São Paulo, as trocas também têm acontecido. Até agora, no total, os times paulistas tiveram oito técnicos em 2015. Lá, o Santos, com Enderson Moreira, Marcelo Fernandes, que conquistou o Campeonato Paulista, e com Dorival Júnior, foi o que mais trocou de técnico. O São teve primeiramente Muricy Ramalho no comando do time e, agora, é dirigido pelo colombiano Juan Carlos Osorio.

O Palmeiras iniciou a temporada com Oswaldo de Oliveira. Insatisfeitos com a performance do time sob o comando do técnico, a diretoria alviverde contratou Marcelo Oliveira, atual bicampeão brasileiro com o Cruzeiro. Coincidência ou não, o Corinthians, apesar de ter sido eliminado da Copa Libertadores, principal meta do time para este ano, manteve seu técnico, Tite, e é o atual líder do Campeonato Brasileiro, à frente do Atlético-MG, que está com o mesmo treinador desde 2014.

E MAIS:
> Ingressos para jogo de volta entre Vasco e Fla começam a ser vendidos nesta quinta
> ENQUETE: O Flamengo acerta ao trocar de técnico mais uma vez? Opine!
> Clube italiano oferece R$ 50 milhões por Guerrero, afirma site

Na manhã desta quinta-feira, o técnico Cristovão Borges pediu demissão e não é mais técnico do Flamengo. Considerada um dos grandes maus do futebol no Brasil, a troca de treinadores continua intensa nesta temporada. No futebol carioca, em 2015, em apenas oito meses, somando-se os quatro clubes grandes, incluindo o Botafogo, que disputa a Série B, já são dez treinadores. Com o profissional que chegará agora à Gávea, este número aumentará em um.

No Flamengo, o ano começou sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, que assumira o cargo em meados de 2014, com a plataforma de "sair da confusão no Campeonato Brasileiro. Com o time abaixo das expectativas no Campeonato Carioca e no Brasileirão deste ano, foi demitido para a chegada de Cristovão, que agora sai para a vinda de outro técnico, que pode ser Oswaldo de Oliveira, nome preferido de alguns diretores rubro-negros.

No Vasco, o time começou o trabalho de 2015 com Doriva. O trabalho fluiu bem e logo veio a conquista do Campeonato Estadual. No entanto, após cinco derrotas consecutivas no Brasileiro, deixou o clube. Antes, o treinador havia recusado proposta do Grêmio. Doriva foi substituído por Celso Roth, que deixou a equipe na lanterna do campeonato, sendo substituído por Jorginho.

No Fluminense, o primeiro treinador do ano foi Cristovão Borges, remanescente do ano passado. Após fraca campanha no Estadual, foi demitido. Para o seu lugar, foi contratado Ricardo Drubscky. Drubscky não começou bem e logo foi demitido. Enderson Moreira o substituiu.

O Botafogo, rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2014, quando era comandado por Vagner Mancini, o primeiro treinador de 2015 foi René Simões. O técnico fez ótima campanha no0 Estadual, chegando ao vice-campeonato. A caminhada no Brasileiro começou bem. No entanto, após alguns percalços, foi demitido, sendo substituído por Ricardo Gomes.

EM SÃO PAULO

Em menor escala, em São Paulo, as trocas também têm acontecido. Até agora, no total, os times paulistas tiveram oito técnicos em 2015. Lá, o Santos, com Enderson Moreira, Marcelo Fernandes, que conquistou o Campeonato Paulista, e com Dorival Júnior, foi o que mais trocou de técnico. O São teve primeiramente Muricy Ramalho no comando do time e, agora, é dirigido pelo colombiano Juan Carlos Osorio.

O Palmeiras iniciou a temporada com Oswaldo de Oliveira. Insatisfeitos com a performance do time sob o comando do técnico, a diretoria alviverde contratou Marcelo Oliveira, atual bicampeão brasileiro com o Cruzeiro. Coincidência ou não, o Corinthians, apesar de ter sido eliminado da Copa Libertadores, principal meta do time para este ano, manteve seu técnico, Tite, e é o atual líder do Campeonato Brasileiro, à frente do Atlético-MG, que está com o mesmo treinador desde 2014.

E MAIS:
> Ingressos para jogo de volta entre Vasco e Fla começam a ser vendidos nesta quinta
> ENQUETE: O Flamengo acerta ao trocar de técnico mais uma vez? Opine!
> Clube italiano oferece R$ 50 milhões por Guerrero, afirma site