icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/02/2015
10:50

A notícia de que Anderson Silva testou positivo em exame antidoping caiu como uma bomba no noticiário esportivo na manhã desta quarta-feira. Spider, no entanto, apressou-se em negar o uso de qualquer substância, apontando "erro laboratorial".

Duas substâncias foram acusadas no exame: drostanolone e androsterona.

A primeira é um anabolizante predominantemente androgênico. Quer dizer que atua na musculatura fazendo com que ela cresça e se torne rígida. A substância, no entanto, não atua sozinha na musculatura. Além disso, é preciso que a taxa de gordura do usuário seja baixa.

O efeito é uma rigidez muscular característica dos fisiculturistas. Mas, para fazer esse efeito, o chamado "polimento", a substância tem que ser aplicada com três ou quatro semanas de antecedência à data da competição. A drostanolone funciona melhor associada a outros esteroides.

Já a segunda substância, a androsterona, é um derivado da testosterona, hormônio masculino. Tem fraca atividade androgênica, ao contrário da drostanolone.