icons.title signature.placeholder Léo Burlá e Thiago Correia
12/07/2014
17:31

O grande ponto de interrogação para a final da Copa do Mundo entre Argentina e Alemanha é se Di María joga ou não. O meia do Real Madrid ficou fora da semifinal por conta de uma lesão muscular na coxa direita. Ele tem treinado, mas o técnico Alejandro Sabella, em entrevista coletiva neste sábado no Maracanã, palco do jogo, não bancou sua presença.

- Vamos ver hoje (sábado, no treino em São Januário), vai ser fundamental, ele tem melhorado, vamos fazer um trabalho especial. No treino vamos saber melhor. Para ser muito sincero, não posso dar uma resposta agora - disse Sabella.

Outro assunto bastante falado na coletiva foi o equilíbrio alcançado na seleção. A Argentina sempre foi vista como dona de um ataque forte, mas defesa fraca. Para ele, isso mudou, e ele sabe quem deve levar os méritos.

- Os jogadores, que se esforçam muito. A distribuição no campo é diferente, ocupamos os espaços, agora temos quatro meias que ocupam espaços, e isso nos deu mais equilíbrio - disse Sabella, que falou quais são os caminhos para conseguir a vitória:

- Temos que fazer um excelente jogo, manter concentração e ocupar os espaços. Não podemos perder a bola em lugares perigosos. Física e taticamente falando, em termos de personalidade, a Alemanha é muito potente, por isso ganharam vários títulos. Tem um sistema muito trabalhado, organizado, usam bem os volantes, o espaço entre as linhas, os cruzamentos, a movimentação. Temos que fazer o jogo perfeito.

Por fim, Sabella lembrou que trata-se de uma final de Copa do Mundo, e que isso já é o bastante para os jogadores se motiveram:

- Esse jogo não precisa mais de motivação, de conversa nesse sentido, eles já estão motivados. Qualquer país que está na final, não precisa de mais motivação. Mas sempre há algo para dizer para entrar no clima, para o sentimento de unidade.