icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/07/2013
17:19

Aconteceu na tarde desta terça-feira um evento incomum na história do UFC.  A maior organização de MMA do mundo promoveu uma coletiva de imprensa reunindo quatro campeões do evento e e seus desafiantes. A iniciativa é parte da turnê mundial que a franquia está realizando para divulgar os grandes combate de fim de ano. As disputas de cinturão entre Ronda Rousey e Miesha Tate, Georges Saint Pierre e Johny Hendricks, Cain Velásquez e Junior Cigano e ainda Jon Jones e Alexander Gustafsson foram representadas pelos próprios envolvidos em evento realizado em Los Angeles.

Ronda Rousey e Jon Jones foram os mais assediados pela imprensa presente. A campeão peso-galo roubou a cena ao provocar a rival Miesha por diversas vezes. Ao ser perguntada se considerava sua relação com Tate como uma grande rivalidade, a dona do cinturão provocou.

- Estamos envolvidas com isso e ela sequer fala comigo ou me olha nos olhos quando estamos nos bastidores. Acho que isso é medo. Como isso não é rivalidade? Eu tenho tudo o que ela quer na vida - disparou Ronda, arrancando gargalhadas de Jones.

Na hora da encarada, Ronda chegou a mostrar o dedo do meio para a adversária. A rivalidade entre as lutadores que se enfrentarão na segunda luta principal do UFC 168, que acontece no dia 28 de dezembro, em Las Vegas - onde Anderson Silva também se apresentará para recuperar o cinturão dos médios - é tao forte que Dana White admitiu que o tratamento com as duas atletas é diferente.

Ronda mostra o dedo do meio para Miesha Tate e provoca rival (FOTO: Reprodução)

- Nessa turnê, temos trabalhado todos juntos, sem problemas nenhum. As únicas que tenho de manter separadas são Ronda Rousey e Miesha Tate (risos) - revelou.

Apesar de bem requisitado pelos jornalistas, Jones foi muito vaiado pelos fãs que acompanharam a coletiva de imprensa. O campeão dos meio-pesados enfrentará Gustafsson no UFC 165, que acontece no dia 21 de setembro, no Canadá.

Jon Jones e Alexander Gustafsson farão a luta principal do UFC 165 (FOTO: Reprodução)

- Para mim, não acho uma grande ideia treinar com alguém parecido, do mesmo tamanho e mesmo estilo. Gustafsson é unico. Meu objetivo é ser o mais forte que posso ser. Devo trabalhar nas partes onde ele é melhor e colocar tudo junto para que eu consiga a melhor performance o possível na luta - analisou o campeão.

Junior Cigano foi um dos menos solicitados pelos profissionais presentes. Quando falou, mostrou respeito a Cain Velásquez. Porém, teve de ouvir uma alfinetada do campeão, que foi questionado sobre uma declaração do brasileiro, onde o mesmo disse que Velásquez "bate como uma moça".

- Eu tento não levar isso para o pessoal. Mas, se ele falou isso, a minha intenção é "bater como uma moça" novamente no octógono - disse Velásquez.

Cain Velásquez defenderá cinturão contra Cigano no UFC 166 (FOTO: Reprodução)

Hendricks e Saint Pierre também não se pronunciaram muito. Enquanto Georges se esquivava de perguntas sobre seu futuro, Johny mandou seu recado:

- Sou mais forte e bato mais forte do que todo mundo que ele já enfrentou. É assim que me vejo diante dele - soltou Hendricks.

Empolgado com grandes lutas fechando o calendário da organização no ano, Dana White fez questão de declarar sua expectativa para os confrontos agendados para o fim do ano.

- Tudo pode acontecer. Mas, todas essas lutas tem potenciais para acontecer da melhor maneira o possível. Estatisticamente, o nível dessas lutas diz que todas serão excitantes para os fãs no mundo todo - comentou o cartola, que explicou que a ausência de Chris Weidman e Anderson Silva se deve ao excesso de compromissos da agenda de Spider no Brasil.

Aconteceu na tarde desta terça-feira um evento incomum na história do UFC.  A maior organização de MMA do mundo promoveu uma coletiva de imprensa reunindo quatro campeões do evento e e seus desafiantes. A iniciativa é parte da turnê mundial que a franquia está realizando para divulgar os grandes combate de fim de ano. As disputas de cinturão entre Ronda Rousey e Miesha Tate, Georges Saint Pierre e Johny Hendricks, Cain Velásquez e Junior Cigano e ainda Jon Jones e Alexander Gustafsson foram representadas pelos próprios envolvidos em evento realizado em Los Angeles.

Ronda Rousey e Jon Jones foram os mais assediados pela imprensa presente. A campeão peso-galo roubou a cena ao provocar a rival Miesha por diversas vezes. Ao ser perguntada se considerava sua relação com Tate como uma grande rivalidade, a dona do cinturão provocou.

- Estamos envolvidas com isso e ela sequer fala comigo ou me olha nos olhos quando estamos nos bastidores. Acho que isso é medo. Como isso não é rivalidade? Eu tenho tudo o que ela quer na vida - disparou Ronda, arrancando gargalhadas de Jones.

Na hora da encarada, Ronda chegou a mostrar o dedo do meio para a adversária. A rivalidade entre as lutadores que se enfrentarão na segunda luta principal do UFC 168, que acontece no dia 28 de dezembro, em Las Vegas - onde Anderson Silva também se apresentará para recuperar o cinturão dos médios - é tao forte que Dana White admitiu que o tratamento com as duas atletas é diferente.

Ronda mostra o dedo do meio para Miesha Tate e provoca rival (FOTO: Reprodução)

- Nessa turnê, temos trabalhado todos juntos, sem problemas nenhum. As únicas que tenho de manter separadas são Ronda Rousey e Miesha Tate (risos) - revelou.

Apesar de bem requisitado pelos jornalistas, Jones foi muito vaiado pelos fãs que acompanharam a coletiva de imprensa. O campeão dos meio-pesados enfrentará Gustafsson no UFC 165, que acontece no dia 21 de setembro, no Canadá.

Jon Jones e Alexander Gustafsson farão a luta principal do UFC 165 (FOTO: Reprodução)

- Para mim, não acho uma grande ideia treinar com alguém parecido, do mesmo tamanho e mesmo estilo. Gustafsson é unico. Meu objetivo é ser o mais forte que posso ser. Devo trabalhar nas partes onde ele é melhor e colocar tudo junto para que eu consiga a melhor performance o possível na luta - analisou o campeão.

Junior Cigano foi um dos menos solicitados pelos profissionais presentes. Quando falou, mostrou respeito a Cain Velásquez. Porém, teve de ouvir uma alfinetada do campeão, que foi questionado sobre uma declaração do brasileiro, onde o mesmo disse que Velásquez "bate como uma moça".

- Eu tento não levar isso para o pessoal. Mas, se ele falou isso, a minha intenção é "bater como uma moça" novamente no octógono - disse Velásquez.

Cain Velásquez defenderá cinturão contra Cigano no UFC 166 (FOTO: Reprodução)

Hendricks e Saint Pierre também não se pronunciaram muito. Enquanto Georges se esquivava de perguntas sobre seu futuro, Johny mandou seu recado:

- Sou mais forte e bato mais forte do que todo mundo que ele já enfrentou. É assim que me vejo diante dele - soltou Hendricks.

Empolgado com grandes lutas fechando o calendário da organização no ano, Dana White fez questão de declarar sua expectativa para os confrontos agendados para o fim do ano.

- Tudo pode acontecer. Mas, todas essas lutas tem potenciais para acontecer da melhor maneira o possível. Estatisticamente, o nível dessas lutas diz que todas serão excitantes para os fãs no mundo todo - comentou o cartola, que explicou que a ausência de Chris Weidman e Anderson Silva se deve ao excesso de compromissos da agenda de Spider no Brasil.