icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
17/06/2014
17:01

O cão de guarda italiano já está com a Costa Rica na mira. Daniele De Rossi, volante que joga à frente da linha de defesa da Itália, não quer saber de subestimar a surpresa do Grupo D da Copa do Mundo, ainda mais depois do que os costarriquenhos aprontaram para cima do Uruguai, vencendo a Celeste por 3 a 1.

- Temos que temer um pouco. Respeito, mas medo de ninguém. É uma seleção que surpreendeu a todos com o resultado contra o Uruguai, ninguém pensava que seria assim. Ela revelou algumas individualidades importantes também - disse De Rossi, em coletiva nesta terça-feira.

Os jogadores italianos não puderam acompanhar ao vivo a vitória do próximo adversário no Mundial, mas esse tema já está na pauta das reuniões do técnico Cesare Prandelli.

- Não vimos porque estávamos nos preparando para a Inglaterra. Vamos ver vídeos. Acredito que jogarão da mesma maneira. Os atacantes fizeram uma boa partida. A defesa também - completou o volante.

De Rossi ainda ressaltou que a Itália terá o calor como mais um complicador. Afinal, além de jogar em Recife, a partida está marcada para as 13h.

- Vamos jogar às 13h, o clima será mais difícil de suportar para nós do que para eles, porque estão mais acostumados ao clima tropical do que nós. Vamos ficar de olhos abertos - afirmou o jogador, criticando a marcação do jogo para um período do dia tão quente:

- Certamente, esse horário não é para proteger a nossa saúde. O jogo fica mais lento. Mas não é um problema só da Fifa. Nós também jogamos na Itália nas noites de janeiro, em um campo que você poderia esquiar. Não é necessário perturbar a Fifa para entender que os interesses econômicos vêm primeiro que a saúde dos jogadores.

Para De Rossi, a utilização do tempo técnico será fundamental.

- O tempo técnico poderia ser aceitado por todas as seleções. É um discurso de bom senso. Por característica, pela história.. os italianos sofrem mais. Mas fara calor também para eles - finalizou.