icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/04/2014
15:00

As declarações de Carlos Miguel Aidar provocativas à Arena Corinthians e ao bairro de Itaquera ainda repercutem do lado alvinegro. Desta vez, o contra-ataque foi dado por Luis Paulo Rosenberg, que repudiou o candidato da situação à presidência do São Paulo - favoritíssimo da eleição no próximo dia 16.

Em entrevista à Rádio Globo, o vice-presidente eleito do Corinthians não perdoou Aidar. A bronca, com não poderia ser diferente, sobrou para o Morumbi. Na visão de Rosenberg, um estádio que não deveria nem mais existir.

- Até os pobres de espírito têm direito de visitar um grande estádio, e saber o quanto é bom se não tivesse construído aquele negócio antiquado, que precisa ser dinamitado e reconstruído. Foi uma postura arrogante, elitista, que não deveria surpreender ninguém, já que isso vem junto da escolha do clube. A dor de cotovelo de ver que um imóvel hipotecado não pertence ao dono, colocando em xeque todos os proprietários de imóveis do Brasil, é ridícula - afirmou o dirigente corintiano, rebatendo a declaração de que o "estádio em Itaquera não é do clube, e sim, da Odebrecht".

A metralhadora do vice-presidente do Corinthians não parou por aí. A bronca com Aidar respingaria até para os dois departamentos de futebol profissional, que viveram momentos antagônicos nos últimos anos.

- A preocupação do São Paulo é a de querer mostrar que a gestão do Corinthians não é boa quanto aparece. É só ver o que cada um dos dois clubes conquistou de títulos nos últimos cinco anos, a gente percebe o porquê os dinossauros de lá estão tão alvoraçados - lembrou Rosenberg.

Em tempo: nos últimos cinco anos, o Corinthians conquistou Paulistão (2009 e 2013), Copa do Brasil (2009), Brasileiro (2011), Recopa (2013), Libertadores (2012) e Mundial (2012). O São Paulo levantou apenas o troféu da Copa Sul-Americana (2012).