icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro e Lucas Faraldo
11/07/2014
08:30

Freddy Rincón foi responsável por erguer uma das taças mais importantes da história do Corinthians no Mundial de 2000. Outros estrangeiros também ficaram marcados no clube, como Tévez, Gamarra e até Javier Mascherano, titular da Argentina finalista da Copa do Mundo. A receita de apostar em destaques sul-americanos, no entanto, se esgotou nos últimos anos, com várias “furadas”.

Desde a reconstrução do clube com o retorno à Série A já vestiram a camisa alvinegra nove estrangeiros (veja mais abaixo), e o único que realmente agradou foi Paolo Guerrero, maior goleador de 2013. Os outros não passaram de promessas, como Matías Defederico, um dos piores investimentos do Timão.

O décimo estrangeiro chega para derrubar essa sina com um sorriso no rosto. Simpático, Ángel Romero foi apresentado nesta quinta-feira, cumprimentou todos os profissionais de imprensa do local e pediu para que fizessem as perguntas devagar, senão ele não entenderia nada. Nos treinos ele tem Guerrero e Cachito Ramírez como tradutores, mas na sala de imprensa estava solitário.

– Nunca imaginava que um dia vestiria a camisa do Corinthians, então estou muito feliz. Não brinco muito porque não entendo português, mas seguramente o tempo passa e vou continuar mostrando muita alegria, simpatia e, claro, meu trabalho ao clube. Quando eu não entendo nada pergunto ao Paolo, ao Cachito, para me ajudarem. Vou tratar de aprender rápido e dar menos trabalho – discursou.

Romero tem tido dificuldades com o idioma, mas gosta quando Mano Menezes lhe dá instruções com paciência e sabe que é sua “obrigação” aprender português. O atacante de 22 anos é disciplinado e mostra evolução nos treinos, física e tecnicamente. Sem escolher posição, aberto ou centralizado, ele já tem até uma paixão: a “hinchada” corintiana.

– Aqui tem muita história e cobrança. Tenho que jogar muito.

RELEMBRE OS OUTROS GRINGOS PÓS-RECONSTRUÇÃO:

Peruano Guerrero é o único sucesso recente entre estrangeiros. E é justamente ele o "conselheiro" do Anjo (Foto: Rodrigo Coca/Fotoarena)

Escudero - Sofreu com lesões e teve passagem apagada e instável no Corinthians.

Balbuena - Lateral paraguaio foi pouco aproveitado (e lembrado) atuando pelo clube.

Defederico - Argentino foi comprado por R$ 10 milhões. Jogou um ano e foi emprestado em outros três. Investimento muito ruim.

Bobadilla - Goleiro paraguaio teve passagem apagadíssima no Corinthians. Em um semestre no clube brasileiro, não jogou nenhuma vez.

Ramírez - Contratado em 2011, o peruano não conquistou espaço no Timão. Em 2013, acabou emprestado à Ponte Preta. Agora, pode sair de novo com destino à Portuguesa.

Chen Zizao - Jogada de marketing do Corinthians, o chinês fez apenas cinco jogos pelo clube. Nenhum gol. Voltou para seu país.

Juan Martínez - Atacante argentino não se deu bem no Timão, sendo transferido para o Boca Juniors em menos de seis meses.

Guerrero - Autor dos gols alvinegros na final do Mundial de 2012, o peruano é o único destaque gringo dos últimos anos e titular absoluto até hoje.

Maldonado - “Dupla” de Ibson no segundo semestre de 2013, o chileno não vingou no meio de campo do Timão e voltou ao seu país.