icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/04/2014
13:47

O ex-atacante e deputado Romário (PSB-RJ) seguiu a regra de grandes nomes do esporte nesta segunda-feira e também elogiou as atitudes Daniel Alves e Neymar. O defensor do Barcelona foi vítima de racismo em um jogo do Campeonato Espanhol, contra o Villarreal, em que teve uma banana atirada contra si no campo.

Romário falou, pelo Facebook, do "gigante" Daniel Alves no episódio, e também elogiou a postura de Neymar, que iniciou a campanha "Somos Todos Macacos", em solidariedade ao amigo e companheiro de equipe. O deputado ainda lembrou de outro caso recente de racismo na Espanha, envolvendo o zagueiro Paulão, do Real Bétis, e fez um apelo para que os incidentes não se repitam no Brasil durante a Copa do Mundo.


Leia o depoimento de Romário

"Ontem (domingo) o Daniel Alves lavou a alma de todos nós brasileiros, em um gesto simples, natural, comeu a banana que lhe foi lançada com um intuito de ofensa e virou o jogo. O racismo sumiu? Não. Mas foi derrotado. Daniel Alves se agigantou.

A hashtag #Somostodosmacacos ganhou as redes sociais. Se ofendeu um, vai ofender a todos, ou melhor, não vai ofender ninguém, porque somos um país onde mais de 50% da população se considera negra.

O racismo é uma ferida que nunca foi curada, comum em toda Europa, com graves incidências no Brasil. Infelizmente, está infestado no futebol. Eles atacam principalmente os melhores jogadores, com a finalidade de abatê-los, torná-los fracos. Há caso de atleta que sai chorando de campo, quem se lembra dessa reação do Paulão, zagueiro do Betis, que depois de ser expulso sofreu racismo da torcida? Por isso, a resposta do Daniel foi tão simbólica.

Daniel e Neymar são jogadores da nossa Seleção que foram ofendidos em países que enfrentarão o Brasil na Copa. Essa Copa não pode ser a Copa do racismo."