icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/07/2013
19:00

Rogério Ceni saiu de campo mais uma vez incomodado. O capitão reclamou das expulsões do São Paulo, após a derrota para o Vitória, neste domingo (a quinta consecutiva da equipe do Morumbi). Segundo ele, o cartão vermelho recebido pelo volante Wellington, aos 23 minutos da etapa final, tornou difícil a reação tricolor no revés por 3 a 2 do Barradão.

- É muito fácil falar o que falta, faltou acabar com 11. A gente perde muito jogador, e isto com dez, 15 minutos faltando faz a diferença para tentar uma reação. Temos que ter a cabeça mais centrada, não dá para sempre jogar com um a menos, fica difícil. Não lembro a última vez que isto não aconteceu - afirmou o jogador, na saída de campo.

Agora com oito partidas sem vitória, o ídolo são-paulino mostrou preocupação com o futuro 'a médio prazo' da equipe comandada por Paulo Autuori, que estreou neste domingo.

- É um período que temos que evoluir, temos que nos acertar. É delicado, difícil o que estamos passando e entendemos a cobrança da torcida, que quer o resultado imediato, mas não vai ser simples de reverter. No mata-mata claro que dá para sair vitorioso, mas a longo prazo, descemos um pouco a ladeira e temos que nos ajeitar para subir novamente - analisou ele, pedindo o apoio da torcida.

- As vaias, em um grupo jovem como o nosso, até muitas vezes é válida, justa. A perspectiva a médio prazo não é das melhores. Temos uma grande evolução com a chegada do Paulo. Ele é uma peça que pode fazer a diferença. Nós precisamos do torcedor. Se o torcedor abandonar a gente, fica difícil - pediu.

Em meio ao momento ruim, o Tricolor volta a campo já na quarta-feira para enfrentar o Corinthians, na decisão da Recopa Sul-americana. Apesar da derrota por 2 a 1 no Morumbi, o capitão confia na possibilidade de conseguir um bom resultado desta vez no Pacaembu.

- Temos a Recopa na quarta. O São Paulo já venceu muitas vezes o Corinthians no Pacaembu e isto é um combustível natural. Agora, para um campeonato de 38 rodadas e que já foram oito para a gente, termos só oito pontos é muito pouco. A gente tem que se unir, erros passados, sejam lá de que lado foram cometidos, têm que ser superados neste momento, que é cedo. Depois pode ficar muito tarde - avisou.

Rogério Ceni saiu de campo mais uma vez incomodado. O capitão reclamou das expulsões do São Paulo, após a derrota para o Vitória, neste domingo (a quinta consecutiva da equipe do Morumbi). Segundo ele, o cartão vermelho recebido pelo volante Wellington, aos 23 minutos da etapa final, tornou difícil a reação tricolor no revés por 3 a 2 do Barradão.

- É muito fácil falar o que falta, faltou acabar com 11. A gente perde muito jogador, e isto com dez, 15 minutos faltando faz a diferença para tentar uma reação. Temos que ter a cabeça mais centrada, não dá para sempre jogar com um a menos, fica difícil. Não lembro a última vez que isto não aconteceu - afirmou o jogador, na saída de campo.

Agora com oito partidas sem vitória, o ídolo são-paulino mostrou preocupação com o futuro 'a médio prazo' da equipe comandada por Paulo Autuori, que estreou neste domingo.

- É um período que temos que evoluir, temos que nos acertar. É delicado, difícil o que estamos passando e entendemos a cobrança da torcida, que quer o resultado imediato, mas não vai ser simples de reverter. No mata-mata claro que dá para sair vitorioso, mas a longo prazo, descemos um pouco a ladeira e temos que nos ajeitar para subir novamente - analisou ele, pedindo o apoio da torcida.

- As vaias, em um grupo jovem como o nosso, até muitas vezes é válida, justa. A perspectiva a médio prazo não é das melhores. Temos uma grande evolução com a chegada do Paulo. Ele é uma peça que pode fazer a diferença. Nós precisamos do torcedor. Se o torcedor abandonar a gente, fica difícil - pediu.

Em meio ao momento ruim, o Tricolor volta a campo já na quarta-feira para enfrentar o Corinthians, na decisão da Recopa Sul-americana. Apesar da derrota por 2 a 1 no Morumbi, o capitão confia na possibilidade de conseguir um bom resultado desta vez no Pacaembu.

- Temos a Recopa na quarta. O São Paulo já venceu muitas vezes o Corinthians no Pacaembu e isto é um combustível natural. Agora, para um campeonato de 38 rodadas e que já foram oito para a gente, termos só oito pontos é muito pouco. A gente tem que se unir, erros passados, sejam lá de que lado foram cometidos, têm que ser superados neste momento, que é cedo. Depois pode ficar muito tarde - avisou.