icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/07/2013
07:30

Dono de 17 títulos de Grand Slam, o tenista Roger Federer está vivendo o pior momento de sua carreira nesta temporada. Em 2013, ele conquistou apenas um torneio e já caiu duas posições no ranking mundial - é o atual quinto colocado.

A maior decepção na temporada veio no último mês, quando o tenista foi eliminado para o ucraniano Sergiy Stakhovsky (116º do ranking à época) logo na segunda rodada de Wimbledon, torneio em que ele fez história com sete títulos e ainda defendia o troféu de 2012 este ano.

Nesta quinta-feira, o suíço de 31 anos foi eliminado na estreia do ATP 250 de Gstaad, em seu país natal - ele não caía em uma estreia há três anos. Antes da derrota, ele concedeu uma entrevista ao jornal espanhol Marca e admitiu a insatisfação com a fase e pensa até em despedida.

- Se as vitórias não chegarem, será o momento de fazer outra coisa. Estar no circuito não é o suficiente pra mim. Vou aos torneios do Grand Slam sem ser o favorito, algo que antes não acontecia - revelou Federer, admitindo a possibilidade de se despedir do tênis caso não tenha uma melhora no desempenho.

Após o fracasso em Wimbledon, Federer optou por fazer uma mudança: trocar de raquete. Ele passou a utilizar um material com cabeça de 98 polegadas, aproximando-se da numeração usada por Nadal e Djokovic (100) - antes ele usava um modelo de 90 polegadas apenas. A inovação, porém, não deu certo.

Nos dois torneio que disputou após a mudança, Federer não teve sucesso. Primeiro, caiu nas semifinais do ATP 500 de Hamburgo para o argentino Federico Delbonis, que não figura no top 100 da ATP e saiu do qualifying do torneio. Depois veio o fracaço em Gstaad nesta quinta.

         Federer fez feio em Wimbledon este ano e caiu na segunda rodada (Foto: AFP)


Com apenas um título este ano, o do modesto ATP 250 de Halle, o tenista confirma que a sua fase não é mesmo boa. Desde 2001 o suíço não passa uma temporada inteira sem conquistar mais de um título - ano passado, por exemplo, foram seis conquistas, sendo uma de Grand Slam. Este ano, ele ainda perdeu a única final que alcançou sem ser em Halle justamente para seu maior rival: Rafael Nadal.

Mas o tenista ainda pode salvar a temporada de 2013. Após a queda na Suíça, ele vai começar a preparação no piso duro para o último Slam do ano, o US Open, em Nova York.

Vale lembrar que no próximo mês ele ainda vai defender o título do Masters 1.000 de Cincinnati, antes de seguir para Nova York. Será que vem aí mais um fracasso?

Dono de 17 títulos de Grand Slam, o tenista Roger Federer está vivendo o pior momento de sua carreira nesta temporada. Em 2013, ele conquistou apenas um torneio e já caiu duas posições no ranking mundial - é o atual quinto colocado.

A maior decepção na temporada veio no último mês, quando o tenista foi eliminado para o ucraniano Sergiy Stakhovsky (116º do ranking à época) logo na segunda rodada de Wimbledon, torneio em que ele fez história com sete títulos e ainda defendia o troféu de 2012 este ano.

Nesta quinta-feira, o suíço de 31 anos foi eliminado na estreia do ATP 250 de Gstaad, em seu país natal - ele não caía em uma estreia há três anos. Antes da derrota, ele concedeu uma entrevista ao jornal espanhol Marca e admitiu a insatisfação com a fase e pensa até em despedida.

- Se as vitórias não chegarem, será o momento de fazer outra coisa. Estar no circuito não é o suficiente pra mim. Vou aos torneios do Grand Slam sem ser o favorito, algo que antes não acontecia - revelou Federer, admitindo a possibilidade de se despedir do tênis caso não tenha uma melhora no desempenho.

Após o fracasso em Wimbledon, Federer optou por fazer uma mudança: trocar de raquete. Ele passou a utilizar um material com cabeça de 98 polegadas, aproximando-se da numeração usada por Nadal e Djokovic (100) - antes ele usava um modelo de 90 polegadas apenas. A inovação, porém, não deu certo.

Nos dois torneio que disputou após a mudança, Federer não teve sucesso. Primeiro, caiu nas semifinais do ATP 500 de Hamburgo para o argentino Federico Delbonis, que não figura no top 100 da ATP e saiu do qualifying do torneio. Depois veio o fracaço em Gstaad nesta quinta.

         Federer fez feio em Wimbledon este ano e caiu na segunda rodada (Foto: AFP)


Com apenas um título este ano, o do modesto ATP 250 de Halle, o tenista confirma que a sua fase não é mesmo boa. Desde 2001 o suíço não passa uma temporada inteira sem conquistar mais de um título - ano passado, por exemplo, foram seis conquistas, sendo uma de Grand Slam. Este ano, ele ainda perdeu a única final que alcançou sem ser em Halle justamente para seu maior rival: Rafael Nadal.

Mas o tenista ainda pode salvar a temporada de 2013. Após a queda na Suíça, ele vai começar a preparação no piso duro para o último Slam do ano, o US Open, em Nova York.

Vale lembrar que no próximo mês ele ainda vai defender o título do Masters 1.000 de Cincinnati, antes de seguir para Nova York. Será que vem aí mais um fracasso?